Em coletiva após a vitória de virada, por 2 a 1, contra o Atlético-GO, na tarde deste domingo (16), o técnico do Atlético, Roger Machado, reconheceu que o time fez partidas diferentes nos dois tempos de jogo e explicou as opções de escalação do time - que não contou com Marcos Rocha e teve Robinho no banco nos primeiros 45 minutos.

"Foram dois tempos distintos. No primeiro tempo a gente fez um jogo burocrático, sem criar dificuldades para o adversário", reconheceu.

"No segundo, com a entrada do Robinho, pelo lado, a gente teve melhores opções. O Elias conseguiu entrar com mais profundidade, teve mais construções pelos lados. O adversário veio muito fechado por dentro do campo. Era preciso criar alternativas pelas beiradas", explicou, afirmando que a entrada de Marlone, no primeiro tempo, não deu os frutos esperados.

O técnico afirmou que o momento agora é de melhorar o rendimento e o equilíbrio dentro de casa para subir na tabela.

Marcos Rocha
Sobre a escolha de atuar com Alex Silva na lateral direita durante toda a partida, Roger disse que foi uma decisão que leva em conta o processo de recuperação física do jogador, que passou vários meses afastado devido a uma lesão.

"O planejamento era de que no retorno, ele não jogasse as duas primeiras partidas até o fim e isso não foi possível. E na Copa do Brasil só temos o Rocha inscrito. [A não escalação tem a ver com] o planejamento visando a competição e a recuperação física do jogador", disse.

Adilson
Ainda com relação à recuperação física de jogadores, Roger Machado comemorou o retorno do volante Adilson. "Ele vinha recuperando o ritmo e estávamos esperando uma sinalização de confiança do atleta. Essa trinca - Elias, Carioca e Adilson é a que nos deu sustentação nos melhores momentos [no Campeonato Brasileiro]", disse.