Os dois postos são oficiais do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran-SP), mas, para o usuário, parecem dois órgãos completamente diferentes: um quase sem fila, com funcionários para ajudar e estrutura nova em folha; o outro, com longas filas, informações desencontradas e instalações em um prédio improvisado. Além do desconforto, o tempo de espera chega a ser cinco vezes maior de um para o outro.

O posto das filas fica na unidade Armênia da Avenida do Estado, na região central. Atende cerca de 8 mil pessoas por dia e tem 178 funcionários. O sem fila funciona no Shopping Interlagos, na zona sul, e dispõe de 193 funcionários para atender 3,5 mil pessoas.

O prédio da Armênia ocupa um espaço que já foi da Subprefeitura da Sé e as obras de adaptação ainda estão em andamento.

O jornal O Estado de S. Paulo acompanhou nesta semana usuários que procuraram as unidades da Armênia e de Interlagos para comparar os serviços. A diferença entre o tempo de atendimento passou de duas horas em alguns guichês. E as queixas sobre as filas, comuns no órgão, só foram ouvidas no posto da Armênia.

Um dos serviços básicos do Detran - transferir propriedade de veículo de uma pessoa a outra - retrata bem a diferença. Na Armênia, a professora Maria Aparecida Dourado, de 41 anos, demorou três horas e meia entre a entrada e a saída no posto. "A fila estava grande e eu tive de pegar outra fila porque o licenciamento estava atrasado. Tive de acertar isso antes", conta, reclamando também da dificuldade para estacionar no posto.

Já em Interlagos, o também professor Física Ivo Duprat, de 24, gastou 30 minutos para fazer a transferência. O único problema apontado por ele está no site do Detran, que não informou sobre a necessidade de levar a razão social para fazer a transferência para pessoa física. "Por isso, tive de voltar hoje. Não consegui fazer da primeira vez."

Outro serviço testado foi o acréscimo de categoria na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Em Interlagos, o pedreiro Derval Marques de Souza, de 49 anos, gastou apenas 37 minutos para cumprir as etapas necessárias e solicitar a mudança de categoria B (automóvel) para D (ônibus). "Tudo muito limpo e prático. Gostei do atendimento", elogiou.

Na Armênia, o motorista Leonardo Damião, de 56 anos, fez o serviço em uma hora. "Pensei que demoraria até mais", afirma. Morador do Parque São Rafael, na zona leste, ele disse saber da existência do posto do Detran em Aricanduva, bairro vizinho ao dele, mas preferiu ir até a Armênia porque fica mais perto de seu trabalho. "Foram duas estações de Metrô, então vai dar tempo de eu voltar para o trabalho ainda hoje", planejava.

Estrutura

Locais para sentar, distribuição de senhas e letreiros luminosos informando quem é o próximo a ser atendido marcam os novos endereços do Detran - além do posto em Interlagos, há outro no Shopping Aricanduva, na zona leste. Na Armênia, o Detran mantém as filas organizadas em caracol. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.