O ex-goleiro da seleção colombiana Faryd Mondragón foi internado na noite da última terça-feira, após supostamente ter tentado se suicidar. O hospital Fundación Valle del Lili não deu maiores detalhes sobre o caso, mas confirmou que o ex-atleta de 44 anos, o mais velho a disputar uma partida de Copa do Mundo, está sob seus cuidados após sofrer um "desequilíbrio metabólico".

Ainda de acordo com o comunicado divulgado pelo hospital, Mondragón encontra-se "em boa condição e sob observação médica". Os médicos, no entanto, não quiseram comentar a suposta tentativa de suicídio e nem estipularam um prazo para a liberação do ex-goleiro.

A imprensa colombiana noticiou que Mondragón foi encontrado desacordado por um funcionário depois de tentar se matar com uma overdose de remédios. O ex-jogador estaria sofrendo uma crise emocional desde o ano passado, quando terminou seu relacionamento com sua ex-esposa, mãe de seus dois filhos.

Em sua página no Instagram, Mondragón deu pistas deste momento turbulento em sua vida pessoal com algumas postagens. "Quem sente sua falta te busca, não te perde", dizia uma delas. "Vou ser o juiz da minha existência, porque estou cansado que os outros me julguem e me condenem sem oportunidade de defesa", escreveu em uma segunda. "Ninguém nota suas lágrimas, ninguém nota sua tristeza, ninguém nota sua dor, mas todos notam seus erro", completou em uma terceira.

Faryd Mondragón atuou por quase 25 anos como profissional e colecionou passagens por Deportivo Cali, Cerro Porteño, Independiente, Zaragoza, Galatasaray, entre outros. Na última Copa do Mundo, no Brasil, entrou na partida diante do Japão, pela fase de grupos, e se tornou o atleta mais velhos a disputar um jogo da competição, com 43 anos.