Um risco de doping, uma lesão após a final do Campeonato Mineiro, e oportunidades agarradas. O jovem zagueiro Bremer se tornou titular do Atlético numa junção de fatores. E, agora, já pôde celebrar o primeiro gol como profissional do clube, e em importante vitória. 

O defensor de 21 anos pode até voltar a ser reserva de Thiago Larghi contra a Chapecoense. Mas ganhou a disputa com Leonardo Silva diante do Atlético-PR. Correspondeu com o primeiro gol do Galo no jogo, que terminaria em 2 a 1 favorável ao alvinegro.

De cabeça, ele subiu alto e testou firme o cruzamento de Juan Cazares. E a violência da cabeçada foi importante para vencer o goleiro Santos, uma vez que o arqueiro do furacão chegou a encostar na bola.

"Fui feliz na cabeçada, consegui me desmarcar e subi livre pra fazer o gol, que é o meu primeiro aqui no Atlético. Estou contente com as atuações e com a confiança que todo mundo vem me dando, agora é seguir trabalhando para poder agarrar as oportunidades quando aparecerem e manter o ritmo e a intensidade para anotar mais gols, ajudar meus companheiros e fazer a massa atleticana feliz", contou o camisa 17. 

Sondado pelo futebol europeu, mesmo em curto período de serviços prestados no Atlético, Bremer surge como mais um zagueiro de potencial formado nas categorias de base do Galo. Em 2016, o clube vendeu Jemerson por 11 milhões de euros ao Mônaco. Agora, tem Gabriel como titular e com potencial de venda. Momento especial para Bremer, que tem Léo Silva como um professor, e a intenção de fazer o aluno superar o mestre. 

"O momento que estou vivendo é um dos mais especiais da minha vida como jogador. Eu acredito que com muito trabalho, as recompensas aparecem e é isso que vem acontecendo comigo. Vestir a camisa de uma grande equipe como é o Galo é especial, ainda mais atuando ao lado de grandes jogadores e recebendo o apoio de uma torcida que é uma das mais apaixonadas do país".