A seleção brasileira sub-17 garantiu vaga nas semifinais do Mundial da categoria neste domingo (22), em Calcutá, na Índia. Em um confronto extremamente equilibrado contra a Alemanha, a equipe superou um péssimo primeiro tempo para dominar a etapa final e despachar o adversário por 2 a 1, de virada.

Arp, de pênalti, abriu o placar para a Alemanha, mas Weverson e Paulinho, na etapa final, garantiram a virada e a classificação mesmo com as inúmeras chances desperdiçadas pela seleção.

Com a classificação, o Brasil terá pela frente na quarta-feira, às 9h30 (de Brasília), a Inglaterra, que eliminou no sábado os Estados Unidos ao golear por 4 a 1. Quem passar, encarará na decisão o vencedor da outra semifinal, entre Espanha e Mali, também na quarta, às 12h30.

Neste domingo, o Brasil começou melhor, pressionando a saída de bola alemã e criando bons momentos, principalmente com Alanzinho. Logo aos cinco minutos, o meia recebeu pela direita e bateu cruzado da entrada da área, na trave.

Só que com a mesma velocidade que ganhou o ataque, o Brasil viu a Alemanha reagir e tomar conta do jogo. Aos 19 minutos, Lucas Cândido perdeu a bola na defesa, Arp invadiu a área e a sobra ficou com Yeboah. Esperto, o atacante tentou o corte para cima de Lucas Halter, que deu carrinho e cometeu o pênalti. Arp foi para a cobrança, deslocou Brazão e deu a vantagem ao time europeu.

O gol claramente abalou os garotos do Brasil, que pareciam sentir o peso do histórico recente do País diante da Alemanha. Abouchabaka aproveitou e quase marcou o segundo, aos 24 minutos. Aos 41, foi a vez de Yeboah criar bom momento, mas Vitão chegou para impedir o gol.

Dominada no primeiro tempo, a seleção brasileira voltou diferente para o segundo, recuperou o controle do jogo e passou a pressionar. Aos oito minutos, Alanzinho levou perigo de fora da área. Aos 12, na melhor trama do ataque até então, Brenner recebeu de Lincoln após ótima triangulação, mas demorou para finalizar e permitiu a recuperação da defesa.

O Brasil tomava conta do campo de ataque, mas errava demais na finalização, principalmente com Lincoln. Aos 14, o atacante do Flamengo perdeu grande chance de cabeça, sozinho, após escanteio da direita. Cinco minutos depois, também hesitou ao receber livre na área e não conseguiu finalizar.

Precisou, então, que um jogador do sistema defensivo aparecesse no ataque para desafogar a seleção. Aos 25 minutos, Alanzinho tabelou com Lincoln e tocou na esquerda para Weverson. O lateral chegou batendo de primeira, com violência, sem chances para o goleiro.

O gol embalou ainda mais a seleção, que não virou aos 30 minutos porque Lincoln perdeu outra chance incrível, sozinho na área. Mas no minuto seguinte, Paulinho recebeu na intermediária e encheu o pé, no canto esquerdo de Plogmann, para marcar um golaço. Restou à equipe, então, se fechar e suportar a pressão dos minutos finais para garantir a classificação.