Chefe da Mercedes, Toto Wolff não escondeu a surpresa com o anúncio de Nico Rosberg de deixar o automobilismo, em comunicado divulgado na manhã desta sexta-feira (2). Com a saída do atual campeão da Fórmula 1, a equipe terá que procurar um substituto nas próximas semanas, num momento em que o mercado já parecia estar fechado.

A mudança, porém, não parece preocupar Wolff. "Para o time, esta é uma situação inesperada, mas também empolgante. Vamos entrar numa era de novas regras técnicas e já uma vaga livre na Mercedes para as próximas temporadas", declarou o chefe da Mercedes.

Wolff garantiu não ter pressa para escolher o substituto do piloto alemão, que renovara em julho seu contrato para seguir na equipe até o fim de 2018. "Vamos tomar o tempo necessário para avaliar nossas opções e, então, encontrar o caminho certo para nosso futuro", declarou.

O candidato mais cotado para assumir a vaga de Rosberg é o também alemão Pascal Wehrlein. O piloto de 22 anos é piloto de testes da Mercedes e defendeu a Manor no Mundial de F-1 deste ano. Sem equipe definida para 2017, ele poderá ser efetivado ao lado do inglês Lewis Hamilton na Mercedes.

Outra possibilidade seria a contratação do finlandês Valtteri Bottas, da Williams. A transferência poderia trazer benefícios para os dois times porque a Williams é cliente dos motores Mercedes e poderia ter vantagens na compra das unidades de potência no próximo ano.

Nestes dois casos, a movimentação no mercado de pilotos poderá beneficiar Felipe Nasr. Ainda sem vaga garantida no grid de 2017, o brasileiro é rival de Wehrlein na briga pela vaga restante da Sauber e também na composição da Manor. No caso da Williams, Nasr chegou a ter início de conversas com a equipe e poderia ser opção se Bottas sair.

ELOGIOS - Surpreso com a decisão de Rosberg, o chefe da Mercedes exaltou a postura do piloto que está de saída da equipe. "Foi uma decisão corajosa e uma prova da força do seu caráter", declarou Toto Wolff. "Ele decidiu sair no auge de sua carreira, como campeão mundial, depois de alcançar seu sonho de infância. Pela clareza da sua avaliação, eu aceite sua decisão imediatamente assim que ele conversou comigo."

Rosberg, ao anunciar sua aposentadoria, alegou que não teria motivação suficiente para mais uma temporada na F-1. Ele afirmou ter feito muitos sacrifícios ao longo deste ano, no qual se sagrou campeão, e disse que não teria a disposição de repetir a trajetória em 2017. O alemão disse que os sacrifícios acabaram sobrecarregando sua esposa no cuidado da sua filha, de apenas um ano de idade.