Bastava a vitória sobre a Caldense, no Horto, para que o América assegurasse, com uma rodada de antecipação, a segunda melhor campanha na fase classificatória do Campeonato Mineiro. E ela veio de forma relativamente tranquila, mesmo com uma equipe mexida em relação às rodadas anteriores, com direito ao retorno de João Ricardo; as entradas de Carlinhos no lugar do contundido Giovanni e a decisão de Enderson Moreira de poupar Rafael Moura, sequer relacionado. Os 2 a 0 transformaram a partida de domingo diante do Villa Nova, no Castor Cifuentes, em amistoso, com chance de um time ainda mais modificado. Já a Veterana não apenas vê a chance de avançar às oitavas complicada como terá de lutar para fugir do rebaixamento ao Módulo II.

O torcedor do Coelho viu uma postura diferente em campo, com muito toque de bola e velocidade no ataque, graças à movimentação de Serginho, Marquinhos e Aylon, desta vez, ao menos na teoria, o jogador de definição. Pois o meia-atacante revelado e emprestado pelo Internacional pode não ter adotado um posicionamento fixo, "a la camisa 9", mas voltou a ser decisivo, balançou as redes duas vezes e, de quebra, assumiu momentaneamente a artilharia da competição, com seis gols. O primeiro dele aos 14 minutos, completando, de cabeça, jogada iniciada por David que levou ao cruzamento de Carlinhos.

A boa movimentação se repetiu na jogada do segundo gol, quando David fez o pivô para que Aylon acertasse um belo chute de fora da área. Obrigada a lutar ao menos pelo empate, a Veterana chegou a levar perigo à meta de João Ricardo, mas, isolado, o atacante Maxuell Samurai pouco pôde fazer. Na segunda etapa, as mudanças descansaram os velocistas do Coelho e deram algum fôlego ao time de Poços de Caldas que, no entanto, não conseguiu deixar o seu.

América
João Ricardo; Norberto, Messias, Rafael Lima e Carlinhos; David, Juninho, Serginho (Capixaba) e Marquinhos (Aderlan); Aylon e Luan (Gérson Magrão)
Técnico: Enderson Moreira

Caldense
Omar; Jefferson Feijão, Marcelinho, Robinho e Jhonatan;  Jean, Arilson (Fernandinho), Charles e Marquinhos (Alexandre Lazarini); Michel (Anderson Rosa) e Maxuell Samurai
Técnico: Roberto Fonseca

Gols: Aylon aos 14 e aos 30 minutos do primeiro tempo. Arbitragem: Felipe Fernandes Lima, auxiliado por Luiz Antônio Barbosa e Marcyano da Silva Vicente. Cartões amarelos: Aylon, Luan, Carlinhos e Messias (A); Jefferson Feijão e Maxuell Samurai (C).