SÓCHI (Rússia) - O treino aberto da Seleção Brasileira na última terça-feira (12) atraiu 4 mil torcedores no complexo Yug Sports, ao lado do luxuoso hotel Swissôtel, base do time de Tite na cidade de Sóchi. Foi amor à primeira vista. Ou melhor, à segunda. Há 11 anos, naquele mesmo campo, o Brasil já havia conquistado a população local através do futebol.

Em 2007, o país enviou à cidade-balneário do sul da Rússia uma equipe formada pelos atores Marcos Palmeira, Du Moscovis, além dos músicos Bruno Coimbra e Max Viana, filhos de figuras famosas do futebol e da viola. O primeiro é filho de Zico, e herdou a camisa 10 do pai na competição vencida pelo Brasil na beira do Mar Negro, contra Camarões.

Em um dos hotéis de Sóchi, é possível encontrar um hall da fama dos hóspedes, e a delegação brasileira das artes cênicas e musicais está pendurada por lá, com um pequeno troféu da conquista, curiosamente, em um mês de junho.

A seleção comandada pelo técnico ainda tinha as seguintes personalidades no elenco: José Loreto, Carlos Bonow, Heitor Martinez, Nicola Siri, Fernando Fernandes, Patrick de Oliveira, Sylvinho "Blau Blau", todos eles reforçados por dois ex-jogadores: Gonçalves, que foi para a Copa de 1998, e Ernâni. 

Aquela competição reuniu 16 países, com Brasil e Argentina representando a América do Sul. O Brasil e a rival Argentina representando a América do Sul. França, Alemanha, Inglaterra e Espanha; Coréia do Sul e Japão; e Camarões também estavam por lá. E o Brasil venceu justamente no Slava Metreveli, palco dos treinos do time de Tite em busca do hexacampeonato.

DANÇA

País referência mundial no balé, a Rússia já se rendeu a outro tipo de dança que marca a cultura brasileira. Ainda em Sóchi, no mesmo hotel que um time de artistas jogando bola é homenageado, há fotos de um grupo de passistas que visitaram as praias da cidade.

O Brasil já fez apresentações carnavalescas de passistas com seus patuês na cidade. E foi destaque inclusive num site russo chamado de "samba queen".