Depois de receber uma partida entre Chicago Bulls e Washington Wizards, em outubro do ano passado, o Brasil pode hospedar mais jogos da pré-temporada da NBA, a liga profissional norte-americana de basquete. Quem admite isso é o novo comissário da NBA, Adam Silver, que assumiu o cargo no início do mês, depois da aposentadoria de David Stern.

"Eu estive pessoalmente no Brasil, no Rio de Janeiro. Aliás, foi minha primeira vez no país, no jogo do Chicago Bulls contra o Washington Wizards. E foi uma experiência incrível, a paixão do brasileiro pelo basquete é impressionante", disse, em entrevista publicada nesta segunda-feira pela Confederação Brasileira de Basquete (CBB).

"Estamos muito animados para fazer mais jogos da NBA no Brasil sim. O mercado brasileiro de basquete é imenso. Temos que entender o papel que a NBA tem no mundo ao promover o basquete. O esporte muda a vida das pessoas. Na Índia, na China, em toda a África, na América do Sul, a NBA leva uma experiência incrível para todas essas pessoas", declarou.", acrescentou ele, durante o All-Star Game, realizado no fim de semana passado em Nova Orleans.

Em entrevista coletiva, ele também rejeitou a possibilidade de que a NBA passe a aceitar patrocínios nos uniformes, pelo menos no curto prazo. "Exibir marcas de patrocinadores nas camisas dos times é uma realidade no futebol, mas no nosso basquete, não estamos nem próximos disso. É claro que estamos atentos e, se for um bom negócio para todos que mostremos as marcas nas camisas em um futuro, faremos essa mudança."