Criada em 2017, a Conferência Nacional de Futebol chega à segunda edição neste mês. Na próxima sexta-feira (18) e no sábado, diveros profissionais do esporte se reunião em São Paulo para debater temas relacionados à bola, e premiar destaques em áreas específicas do ano passado.

Atlético e Cruzeiro estarão representados entre os concorrentes dos prêmios. Do lado alvinegro, o atual técnico da equipe principal, Thiago Larghi, briga para ser o "auxiliar-técnico do ano". Larghi era o braço-esquerdo de Oswaldo de Oliveira no Galo no fim de 2017.

Além dele, o diretor financeiro do clube, Carlos Fabel, que chegou ao Atlético junto com a ascensão de Alexandre Kalil ao poder (2008/2009) também poderá levar para casa o prêmio de "melhor diretor financeiro". 

Fabel concorre com Luciano Paciello - Palmeiras - e Paulo Dutra, Flamengo. Já Larghi tem como "rivais" o auxiliar de Fábio Carille no Corinthians, Osmar Loss, e o auxiliar de Tite na Seleção Brasileira, Cléber Xavier.

O presidente Sérgio Sette Câmara, pressionado com a eliminação do Galo da Sul-Americana e da Copa do Brasil, será um dos debatedores do "Painel 1 Os mecanismos de incentivo à profissionalização das entidades do futebol".

EM BUSCA DO TETRA
O Cruzeiro também está forte na lista de concorrentes da premiação da Conafut, presente em quatro categorias. Primeiro, o diretor de comunicação Marcone Barbosa - que foi debatedor em 2017 - pode levar o troféu de "melhor executivo de marketing"; tendo Beto Carvalho (Grêmio), Bruno Spindel (Flamengo) e Roberto Trinas (Palmeiras) no páreo.

Já Klauss Câmara, atual diretor de futebol do Sport Recife, concorre à premiação de "melhor executivo de futebol", tendo o título da Copa do Brasil como impulsionador da nomeação. Alessandro (Corinthians) e André Zanotta (Grêmio) são seus rivais.

O Cruzeiro também foi nomeado para as categorias de melhor departamento de análise de desempenho (contra Corinthians e Bahia), e melhor departamento de preparação física, duelando com Vasco e Grêmio.