Oito finalistas da Superliga 2016/17 se apresentam nesta segunda-feira (15) ao novo treinador da Seleção Masculina de Vôlei, Renan Dal Zotto, no Centro de Treinamento de Saquarema (RJ).

Para um deles, será uma experiência inédita. Aos 20 anos, o oposto Rodriguinho (Sada/Cruzeiro) foi chamado pela primeira vez para representar o país na categoria principal.

“Caçulinha” do grupo em idade e bagagem, o jovem cruzeirense se juntará aos demais convocados pelo sucessor de Bernardinho para a preparação visando à Liga Mundial, entre junho e julho. Será o primeiro torneio disputado pela equipe brasileira neste novo ciclo olímpico.

“É claro que eles (campeões olímpicos), provavelmente, estão um passo à frente. Mas acredito que, na cabeça do Renan, ainda não tenha exatamente um time pronto, com tantas vagas praticamente garantidas"

O próprio jogador admite uma certa surpresa com a convocação. Para ele, porém, a troca no comando técnico pode render chances reais para os novatos.

“Acredito que será um ano de renovação. Alguns atletas experientes se aposentaram da seleção ou chegarão a 2020 com um pouco mais de idade, e isso pode abrir espaço para os mais novos. Todos os convocados têm condições de atuar, então será uma concorrência muito boa para o time”, avalia o oposto.

Caras novas

A convocação também foi inédita para o líbero Thales, 28, (Lebes Gedore/Canoas) e conta ainda com outros nomes pouco acionados por Bernardinho, como o do central mineiro Otávio, 26 (Funvic/Taubaté).

Por outro lado, dez dos 18 atletas chamados participaram da campanha de ouro nos Jogos Rio-2016.

“É claro que eles (campeões olímpicos), provavelmente, estão um passo à frente. Mas acredito que, na cabeça do Renan, ainda não tenha exatamente um time pronto, com tantas vagas praticamente garantidas”, conclui Rodriguinho.

Apesar da condição de reserva no Cruzeiro, o garoto teve oportunidades importantes com o técnico Marcelo Mendez e correspondeu bem ao longo da temporada 2016/17. Especialmente na conquista do Mundial de Clubes, quando assumiu o posto de titular devido a uma lesão do experiente Felipe.

Rodriguinho chegou ao Cruzeiro em 2014, aos 17 anos. Pelo time adulto, conquistou dois Mundiais e um Sul-Americano, além de duas Superligas, entre outros títulos. O oposto carioca de 1,97m tem passagens pelas seleções de base, incluindo o ouro no Sul-Americano Infanto de 2012.

Renovação

Considerando os 12 campeões olímpicos, o líbero Serginho, 41, é o único aposentado da seleção. Nesta temporada, porém, o time também será desfalcado pelo levantador William, 37, que pediu dispensa para tirar férias com a família.

O oposto Evandro, 36, é outro “veterano” do elenco brasileiro. Já o central Lucão e o levantador Bruninho chegarão aos Jogos de Tóquio-2020 ambos na casa dos 35 anos de idade.

Assim, a tendência é que Renan ao menos inicie um processo mais amplo de renovação, mesmo já tendo dito que “todos (medalhistas em 2016) estão em plenas condições”, referindo-se às previsões para a próxima Olimpíada.

Leia mais:
Com quatro 'mineiros', Seleção Masculina é convocada para a Liga Mundial de Vôlei
Em último dia no Cruzeiro, William se emociona e elege conquistas mais marcantes pelo clube
Sada/Cruzeiro tem 'conversas iniciadas' com levantador argentino para a vaga de William