O torcedor do Cruzeiro que quiser ir à Arena da Baixada, em Curitiba, para acompanhar o primeiro duelo das oitavas de final da Copa do Brasil, contra o Atlético-PR, terá que se infiltrar nos setores dos donos da casa, sem a camisa celeste. Isso porque a iminar pedida pela diretoria da Raposa para ter a presença da torcida com camisa do clube foi indeferida.

Por determinação do Ministério Público do Paraná, a capital vai testar o esquema de torcida única em todas as partidas na cidade. O duelo entre o Furacão e a Raposa será o piloto.

Torcedores mineiros que quiserem assistir ao confronto na Arena da Baixada não poderão usar a camisa do time e terão que comprar ingressos numerados, no meio da torcida rival. A proposta é combater a violência durante as partidas, como já é feito em outros estados, e reduzir o custo com segurança. A torcida atleticana não terá escolta para ir ao estádio.

A CBF ainda não se manifestou sobre o assunto. Ao justificar a medida, o Ministério Público citou dados de São Paulo, onde desde 2016 é adotado o esquema de torcida única: o público nos estádios aumentou em 23% e o efetivo da PM empregado nos jogos foi reduzido em 15%.

Atlético-PR e Cruzeiro jogam às 21h45.