A apresentação dos reforços do Cruzeiro para 2018 mostrou mais do que a chegada de novos jogadores ao clube. Evidenciou também que a Vilma Alimentos não mais será patrocinadora do futebol estrelado a partir desta temporada. 

A informação de que a indústria alimentícia não renovou contrato de patrocínio com o Cruzeiro para este ano foi confirmada ao Hoje em Dia, nesta quarta-feira, pela diretoria comercial estrelada. 

“Realmente não houve um acerto e a marca da Vilma não mais será estampada em nosso uniforme a partir de 2018”, confirmou o diretor Robson Pires. 

Desde 2015, um ano após o bicampeonato Brasileiro conquistado pelo Cruzeiro, a empresa Vilma Alimentos divulga sua marca na manga da camisa do Cruzeiro. Após três anos a parceria entre a Raposa e à indústria alimentícia chega ao fim. 

Apesar de a marca da Vilma não mais aparecer nas camisas oficiais de jogo, os materiais de treino ainda contemplam a marca da empresa. Mas em breve, com a chagada de nova remessa da Umbro , fornecedora de produtos esportivos do clube, todos os uniformes (treino e jogo) não mais estamparão a logo da indústria de alimentos. 

Patrocínio Master

Perguntado pela reportagem se a Caixa Econômica Federal também teria sua marca retirada do uniforme azul, Robson Pires explicou. 

“A situação da Caixa é diferente. O contrato terminou no ano passado, mas o banco já nos informou verbalmente que há o interesse em manter o patrocínio. O contrato, os valores a serem recebidos pelo Cruzeiro, tudo isso está acordado. Falta apenas a assinatura do contrato, mas que não há um prazo estipulado para que isso aconteça. Pelo menos por enquanto. Mas a Caixa tem tudo para seguir nos patrocinando”, garantiu Pires. 

Desde 2016 a Caixa é o patrocinador máster do Cruzeiro pagando valor superior a R$ 10 milhões mais bônus por conquistas. Em 2017 o time celeste faturou R$ 500 mil a mais por ter conquistado a Copa do Brasil.