A bola só volta a estar em jogo no dia 7, na abertura do returno da fase classificatória. Até lá, nem tudo será tempo livre, mas os atletas da Superliga Masculina terão tempo para passar as festas em família e respirar depois da longa sequência de partidas. No caso dos times mineiros, com a sensação da missão cumprida.

Os três que atuaram ontem venceram seus jogos e alcançaram, ou superaram, as metas estabelecidas para este momento da competição. Falta o Juiz de Fora, que encerra o ano hoje contra o Taubaté, às 21h55, no interior paulista.
Se ainda faltava algum feito inédito para o Cruzeiro, ele foi conquistado ontem com a 11ª vitória da equipe celeste na temporada. Pela primeira vez os tetracampeões da Superliga chegaram ao fim do turno invictos, com apenas três sets perdidos.

A vítima da vez foi o Brasil Kirin Campinas, no Ginásio do Taquaral, superado por 3 a 0 (25-21, 25-22, 25-20). Apesar da força de um adversário empurrado pela torcida, com jogadores como o mineiro e campeão olímpico Maurício Souza, prevaleceu a força coletiva do time estrelado, com destaque para a grande partida do central cubano Simón, que passou a ser o homem das bolas de segurança nos momentos de maior equilíbrio. O time paulista chegou a estar na frente na segunda parcial (7 a 5), mas esbarrou na eficiência dos fundamentos do Cruzeiro – saque, passe e a distribuição de jogadas pelo mago William funcionaram de forma precisa.

Em terceiro

E a vitória celeste acabou ajudando outro representante do estado, que também fez sua parte. Ao bater o Maringá por 3 a 0 (28-26, 25-20 e 25-21) no Poliesportivo Tancredo Neves, o Montes Claros assumiu o terceiro lugar, com 24 pontos, deixando o Campinas para trás. O Pequi Atômico, comandado por Marcelinho Ramos, concluiu o turno com oito vitórias e três derrotas e confirma a expectativa de lutar por um lugar nas semifinais.

Na Arena JK, o Minas bateu o São Bernardo, comandado por um velho conhecido: o também campeão olímpico Douglas Chiarotti, que integrou o time na fase do segundo tricampeonato, com o técnico Cebola.

Com grande atuação do jovem oposto Felipe Roque, uma das revelações do grupo, a equipe da Rua da Bahia bateu os paulistas por 3 a 0 (25-23, 25-20 e 25-21), confirmando a oitava posição, sinônimo de vaga nos playoffs.