Conquistar a Copa Libertadores, por si só, já representa uma obsessão para qualquer profissional do futebol sul-americano. Para os cruzeirenses Fábio, Henrique, Thiago Neves e Mano Menezes, porém, a ambição é ainda maior nesta edição 2018, pois significaria um novo desfecho após grandes decepções em finais do torneio. E, para manter o sonho vivo, uma vitória sobre o Vasco da Gama nesta quarta-feira (4) é fundamental. 

Os dois times brasileiros medem forças às 21h45, no Mineirão, num confronto direto pela segunda rodada do Grupo 5 da competição internacional. Por ter sido derrotada na estreia (4 a 2 para o Racing, na Argentina), a equipe mineira se complicaria na classificação em caso de tropeço. Os cariocas também foram superados na partida inaugural (1 a 0 para a Universidad de Chile, no Rio).

Clique para ampliar

Traumas

Jogador com mais atuações na história do Cruzeiro pela Libertadores (64), o goleiro Fábio era o capitão em 2009 e teria erguido a taça diante da torcida, no Gigante da Pampulha, caso o time celeste não tivesse levado a virada na decisão com o Estudiantes.

Atual dono da braçadeira, o volante Henrique foi o autor do gol cruzeirense naquela final contra os argentinos e esteve perto de se consagrar como herói do sonhado título que escapou por entre os dedos.

Destaque da Raposa no ano passado e atleta mais renomado do atual elenco, o meia Thiago Neves sentiu esse desgosto em 2008, pelo Fluminense. E com requintes dramáticos, pois se tornara o primeiro jogador da história a marcar um “hat-trick” em uma final de Libertadores naquele triunfo por 3 a 1 sobre a LDU, seguido de derrota nos pênaltis no Maracanã.

Por fim, o técnico Mano Menezes, responsável pela conquista da última Copa do Brasil, também busca uma nova chance de decidir o torneio continental após a frustração em 2007, à frente do Grêmio. Depois de grande campanha, tendo passado por São Paulo e Santos nas fases eliminatórias, o treinador viu o Tricolor gaúcho ser varrido pelo Boca Juniors na decisão, pelo placar agregado de 5 a 0.

Foco total

No jogo de hoje, o desafio do Cruzeiro é esquecer a final do Mineiro e entrar concentrado no maior objetivo da temporada. Segundo Mano, no entanto, a derrota por 3 a 1 no clássico com o Atlético serviu de lição.

“O que aconteceu deve interferir na quarta-feira. Não deve abater, mas interferir, sim. O resultado tem uma importância no que vai acontecer lá na frente e na mudança de comportamento em determinadas situações”, declarou o comandante celeste.