O advogado Sérgio Santos Rodrigues, filho do ex-presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), desembargador Joaquim Herculano Rodrigues, é o mais cotado hoje para suceder Gilvan de Pinho Tavares na presidência do Cruzeiro.

No cargo de Superintendente de Gestão Estratégica do bicampeão Brasileiro, Sérgio Rodrigues contaria com apoio do grupo político de Gilvan e do ex-presidente do clube, senador Zezé Perrella (PDT-MG). Tanto Zezé quanto o irmão dele, Alvimar Perrella, não teriam interesse em reconquistar o cargo. O senador ainda tem mais de três anos de mandato em Brasília. Já Alvimar é empresário do segmento de alimentos, dono da Stillus Alimentação, com contratos vigentes com o governo de Minas.

O mandato de Gilvan Tavares, candidato a deputado estadual derrotado na eleição de 2014 pelo PV, só termina no fim de 2017. Nos bastidores do clube, a informação que circula é de que Gilvan estaria cogitando renunciar ao cargo. A pedido da família e por conta de um suposto recente desgaste com o departamento de futebol.

Ao Hoje em Dia nesta quarta-feira, dia (15), Rodrigues considerou ser prematuro falar do assunto. O advogado, no entanto, disse ser uma honra conquistar o posto de mandatário do clube. Ele destaca que a decisão não depende dele. “Pertenço ao mesmo grupo do Doutor Gilvan no Cruzeiro e trabalharei sempre para o clube. O foco é ajudá-lo no que for preciso para desempenhar bem esses anos de mandato. E, no momento certo, ele (Gilvan) e o doutor Lemos (José Francisco Lemos Filho), nosso vice-presidente, vão conduzir esse processo de sucessão. Certamente nosso grupo vai caminhar junto, mas a discussão de nome ainda não aconteceu”, declarou.

“Quanto a presidir o Cruzeiro, o que sempre digo é que: acho que todos os quase nove milhões de torcedores do nosso clube gostariam”. Nesta quarta-feira (15), Rodrigues lançou, no auditório da OAB de Minas, na Zona Sul de BH, o livro “Manual de Direito Desportivo”, escrito em parceria com Mariana Rosignoli. O evento foi amplamente divulgado no site oficial do clube.

O prefácio da obra foi escrito por Flávio Zveiter, atual auditor do Pleno e ex-presidente do STJD do Futebol. No texto, ele destaca: "Ao longo desta minha jornada na Justiça Desportiva, tive o privilégio de conviver e aprender com excelentes advogados que militam neste tão apaixonante ramo do direito e, me recordo exatamente do dia que em que, um também jovem advogado subiu a Tribuna para defender os interesses do Cruzeiro Esporte Clube e fez uma sustentação que me impressionou e marcou em vários aspectos", revela Zveiter, que elogia também o brilhantismo da outra autora da obra, Mariana Rosignoli.