Criado com o objetivo principal de formar e lapidar novos talentos em várias modalidades, o Centro de Treinamento Esportivo da Universidade Federal de Minas Gerais (CTE/UFMG), promove no próximo sábado, dia 19, das 9 às 15h, uma seletiva voltada para as provas do atletismo.

Poderão participar jovens de ambos os sexos, de 12 a 16 anos, que serão testados nas corridas de velocidade, saltos, lançamentos e corridas de resistência. 

A participação é gratuita e os interessados deverão chegar com roupa adequada para a atividade física, que será totalmente acompanhada por profissionais da Escola de Educação Física da UFMG.

Caso não consiga ir à seletiva do dia 19, o jovem poderá procurar o departamento de atletismo do CTE, em qualquer dia da semana, para agendar a avaliação. 

O CTE/UFMG fica na rua Alfredo Camarate, 617, na Pampulha. O telefone para contato é (31) 3409-3340.
No sábado, quem quiser participar da “peneirada”, é só comparecer neste endereço.

Nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em agosto, o Brasil conquistou apenas uma medalha no atletismo, o ouro de Thiago Braz, no salto com vara, o que foi considerado um resultado abaixo do esperado, principalmente pelo alto investimento federal na modalidade. 
Idealizador do CTE e coordenador do departamento de atletismo da UFMG, o polonês Leszek Szmuchrowski destacou que a relevância da modalidade vai além das competições. 

“Precisamos reconhecer a importância do atletismo em todos os sentidos, pois é o esporte mais tradicional, antigo e importante. Ele é fundamental não só em nível de competição, mas também na formação dos jovens. O atletismo cuida da saúde. Por isso, representa uma ferramenta essencial na educação física”, afirma o professor. 

Leszek também faz questão de destacar a estrutura do CTE e a necessidade de usufruir do talento presente nos jovens atletas. 

“Era um absurdo em Belo Horizonte não se ter nenhuma pista. Havia uma ou outras, mas não eram abertas. No CTE, temos a melhor e mais equipada do Brasil. Fazemos essa peneirada há quatro anos e já passaram por aqui milhares de jovens. Precisamos formar equipes para aproveitar o potencial desses jovens”, afirma Leszek. 

* Colaborou Lucas Borges