O técnico cruzeirense Mano Menezes atribuiu a derrota para o Flamengo, por 1 a 0, no Maracanã, no segundo jogo com o rubronegro no mesmo palco em menos de uma semana - o primeiro, quarta-feira, pela Libertadores, foi vencido por 2 a 0, em grande estilo -, a um "risco calculado": o de poupar titulares, pensando na Copa do Brasil e na competição sul-americana, e entrar com um grupo alternativo em partidas do Brasileirão.

Mesmo assim, e diante de um adversário que veio ferido pela derrota anterior e com força máxima, à exceção de jogadores suspensos ou contundidos, o treinador elogiou a equipe mineira. Principalmente no segundo tempo, quando, segundo Mano, o Cruzeiro teve chances reais de empatar e, talvez, até virar o placar.

"O Cruzeiro fez um bom jogo. Foi um risco calculado, porque entendemos que era isso que deviamos fazer (entrar com reservas, a não ser Henrique e Léo)", disse. "Tenho certeza de que os jogadores que atuaram na quarta-feira (na vitória por 2 a 0 sobre o mesmo Flamengo, pela Libertadores), se tivessem que jogar os 90 minutos de hoje teriam dificuldade para fazer o que fizemos no segundo tempo", acrescentou.

Mano lembrou que, contabilizadas as oportunidades dos dois times na segunda etapa, o Cruzeiro faria jus a melhor sorte no Maracanã. "Fizemos um jogo que não merecíamos perder, mas sabíamos que ganhar duas vezes do Flamengo em três dias não é fácil para o Cruzeiro nem para time algum", afirmou.

O foco dos cruzeirenses, agora, é o Santos, na quarta-feira, no Mineirão, e um empate separa o time de ficar, mais uma vez, entre os quatro semfinalistas da Copa do Brasil. Técnico e jogadores estão confiantes em atingir o objetivo, mas pedem apoio total da torcida, como tem ocorrido na competição, e, sobretudo, paciência. "Queremos todos juntos, confiantes, mas com paciência e compreensão, nos empurrando, mas cientes de que o Santos é uma grande equipe e tem capacidade de nos vencer no Mineirão", afirmou Mano.

"Esperamos 40, 50 mil torcedores no Mineirão e sabemos que vão nos apoiar, mas eles têm que entender que a vantagem é nossa e, diante de um time rápido, de molecada, como o Santos, vamos precisar ser inteligentes", destacou o meia Thiago Neves. O volante Henrique, que completou 442 jogos pelo Cruzeiro, contra o Flamengo, e entrou na lista dos dez atletas que mais atuaram pela equipe, na história, concordou: "Vamos buscar nossa classficação. Fizemos o primeiro confronto bem e temos que saber que vai ser uma segunda partida dura e difícil, mas vamos ser fortes e inteligentes", disse.