Pelo que fizeram embaixo das traves no Independência, ambos ganharam, das respectivas torcidas, a condição de santos. Hoje, no entanto, a parada de ambos será longe de casa, às 19h, pela quarta rodada do Brasileiro.

Recuperado de duas contusões, João Ricardo volta ao gol do América em São Januário, diante do Vasco. Não que o substituto Jori tenha decepcionado – o Coelho é o terceiro na classificação –, mas a experiência de quem ajudou a equipe a voltar à elite tem tudo para fazer a diferença diante de um rival que busca a reabilitação, depois da goleada sofrida por 4 a 0 para o Cruzeiro, na Libertadores.

“Eles estão numa pressão terrível e vão querer a vitória de qualquer maneira para recuperar o clima bom entre os jogadores e a torcida. Temos que ir com tranquilidade, mas sem achar que esse ambiente ruim do adversário é vantajoso para a gente. Se pensarmos assim, poderemos ser surpreendidos. Mas se jogarmos o que temos jogado, podemos, sim, sair de lá com uma vitória”, destaca o camisa 1.

No Morumbi, será dia de marca histórica para Victor (200 jogos pelo Brasileirão). Em meio ao mistério na preparação depois do empate sem gols com a Chapecoense, pela Copa do Brasil, Thiago Larghi prometeu escalar sua melhor formação, sem se descuidar da sequência de jogos que inclui o San Lorenzo terça-feira, pela Sul-Americana. Por isso, Luan e Gustavo Blanco podem ficar no banco, dando lugar a Elias e Cazares. O tricolor paulista, comandado pelo ex-atleticano Diego Aguirre, aposta no esquema com três volantes, dando liberdade a Nenê, Ewerton e Diego Souza.

Reencontro
No Mineirão, domingo, o Cruzeiro busca a primeira vitória em casa, domingo, às 16h, diante do Botafogo. Mano Menezes garantiu força máxima para evitar que o foco na Libertadores acabe tirando pontos que podem pesar mais adiante. Elogiado pelo comandante, Sassá, que já balançou as redes dos três outros cariocas, tenta marcar o primeiro gol contra o ex-clube.