Fazer a América. Algo que o primeiro já conseguiu, e que o segundo, que agora desembarca na terra do Tio Sam, pretende repetir. As próximas semanas marcam os primeiros desafios do ano para o experiente Rafa Matos, que este ano disputará o título na categoria TA2 da Trans-Am Series, e para o jovem Igor Fraga que, depois de conquistar o título brasileiro de F-3 (classe Academy), acertou para disputar a F-2000, primeira entre as categorias de acesso à Fórmula Indy.

Depois de acelerar em cinco provas ano passado com direito a uma pole e um segundo lugar, Rafa vai disputar toda a temporada de um campeonato que volta aos tempos áureos, com chassis tubulares movidos por bravos motores V8. Confirmado na equipe HP Tech e no comando de um Chevrolet Camaro, ele não esconde que o título é o objetivo. Seu primeiro desafio será no fim de semana, em Sebring (Flórida).

“Agora que conheço bem o carro, estou bastante animado e otimista para uma boa temporada”, explica o piloto de Belo Horizonte. Ele desembarcou nos EUA em 2002 com o sonho de ser piloto profissional, pouco mais de 100 dólares no bolso e construiu uma carreira vitoriosa que o levou à Indy e a vários resultados de destaque em provas de longa duração (conquistou as 24h de Daytona em 2008 entre os GT).

Confortável
Este é um caminho que Fraga também pretende traçar. Se nasceu em Kanazawa, no Japão, onde a família, originária de Ipatinga, vivia e trabalhava, o mineiro de coração teve uma carreira de destaque no kart asiático e, de volta ao Brasil, passou a acelerar nos monopostos. No ano passado, além do título da F-3, fez bonito em duas corridas da F-4 Nacam (América Latina e Caribe), com vitórias no México e repetiu a dose este mês, retornando ao alto do pódio em Puebla.

Um elogiado teste feito com o carro do time canadense Exclusive Autosport acabou valendo o convite para a disputa do campeonato. A exemplo do que fez Rafa, bons resultados podem valer uma premiação suficiente para dar os passos seguintes, subindo à Pro Mazda e à Indy Lights. “Me senti confortável com a equipe desde o primeiro contato e quero lutar pelo título”, garante.

FRA

Igor Fraga participou no fim de semana da pré-temporada da F-2000, no circuito de Homestead

 

RÁPIDAS

ESTADUAL DE KART COMEÇA COM GRIDS

REPLETOS E BONS PEGAS EM VESPASIANO

Nada menos que 66 pilotos marcaram presença na primeira etapa do Mineiro de Kart, no RBC Racing, em Vespasiano, confirmando o bom momento da modalidade no estado. Nas duas corridas da Cadete, vitórias para Luca Neuenschwander e Miguel Máximo. Vencedores distintos também na F-400 (motores 400cc quatro tempos): Roberto Cló e Leonard Azevedo. As categorias com motores dois tempos foram reunidas em um só grid, com 21 pilotos, e domínio de Fernando Buzollo e Daniel Cançado pela Super Master; Lucas Staico, na Júnior Menor e Ayrton Gil na Júnior (ambos com duas vitórias). Marcelo Silva foi o melhor na Indoor e Heitor Vasconcelos dominou a corrida do projeto Piloto do Futuro.

MAIS UM PÓDIO PARA GUSTAVO CONSOLI
NO PAULISTA DE F-VEE EM INTERLAGOS

Nem mesmo os problemas de motor nos treinos, que acabaram se repetindo na primeira corrida do fim de semana, impediram o mineiro Gustavo Consoli de voltar ao pódio, na segunda etapa do Paulista de F-Vee. Obrigado a largar em último na prova que fechou a programação da categoria em Interlagos, o piloto de Divinópolis escalou o grid para receber a bandeirada em quarto lugar, resultado que o levou ao pódio. O desempenho mereceu elogios de ninguém menos que Wilsinho Fittipaldi, consultor técnico e padrinho da categoria-escola, que usa motorização VW, pneus radiais de rua e não conta com asas, para reduzir custos e aumentar a competitividade. Gustavo ocupa a sexta posição na classificação.

EQUIPE DA UFMG CONQUISTA O

VICE-CAMPEONATO NO SAE BAJA BRASIL

A equipe Baja UFMG ficou com o segundo lugar entre as 63 inscritas no Baja SAE Brasil. Realizada este ano em São José dos Campos (SP), a competição envolve instituições de ensino superior de todo o país e avalia a capacidade de projetar, desenvolver e acelerar um pequeno veículo fora de estrada de chassi tubular em torno de um motor padrão de 10cv de potência. Os mineiros foram superados apenas pelo time da Escola de Engenharia de São Carlos da USP nas provas de avaliação do projeto dinâmico, apresentação, relatório, aceleração, volta mais rápida, velocidade máxima, manobrabilidade, tração, lama e suspensão. Com isso, se qualificaram para a final mundial, em Pittsburg, no Kansas (EUA), de 17 a 22 de maio.