Foi segurando o choro, em meio a sessões de fotos e muitos abraços, que o levantador William, 37, se despediu do Sada/Cruzeiro nesta quinta-feira (11), depois de sete temporadas e uma coleção de troféus conquistados.

Mais precisamente 26, número estampado às costas de um uniforme entregue pelo clube em homenagem ao camisa 7, contratado pelo Sesi-SP para a temporada 2017/18.

Pode até parecer injusto pedir para o "Mago" apontar o título mais importante em uma prateleira tão cheia de taças. A reportagem do Hoje em Dia, porém, colocou o campeão olímpico contra a parede. E ele não fugiu da pergunta.

Os mundiais, sem dúvida, são os mais marcantes,
pela grandiosidade do torneio. E por ser um título inédito para o país"

"Cada final é diferente. Vários foram marcantes. Agora, os mundiais, sem dúvida, são os mais marcantes, pela grandiosidade do torneio. E por ser um título inédito para o país. Vencer esse campeonato três vezes, olha, não é mole", respondeu o levantador. 

"Eu destacaria também o primeiro Campeonato Mineiro, quando cheguei aqui (2010), porque também foi uma alegria enorme. Cada um foi especial, e eu aproveitei todos", completou o jogador, já tentando escapar da questão inicial.

"Duro, emburrado e chato"

Durante a pequena reunião de despedida no ginásio do Barro Preto, William fez um rápido discurso e posou com os companheiros para fotos com as cinco taças levantadas na temporada 2016/17: Mineiro, Mundial, Supercopa, Sul-Americano e Superliga.

"Jamais esperava viver o que eu vivi aqui, nem nos meus melhores sonhos. Acho que acertei e errei, tive bons e maus momentos. Algumas vezes fui tido como um cara duro, emburrado, chato... Mas eles sabem que foi sempre em prol da equipe, brigando para que o time se tornasse o que se tornou. Estou saindo, mas sempre vou considerar essa aqui a minha casa, sem dúvida...", dizia, até ter a voz embargada pelas lágrimas.

Enquanto alguns colegas ainda se confraternizavam, o levantador dirigiu-se discretamente ao vestiário e tirou o uniforme azul pela última vez. 

De boné, camiseta, calça jeans e tênis, William caminhou sozinho pelo clube, passou pela portaria, atravessou a Rua dos Guajajaras e entrou no carro, não sem antes se despedir de uma senhora sentada em um banquinho na calçada. "Vai com Deus, meu filho".

Principais títulos conquistados por William no Sada/Cruzeiro

- Tricampeonato Mundial de Clubes (2013, 2015 e 2016)
- Tricampeonato Sul-Americano de Clubes (2012, 2014 e 2016)
- Pentacampeonato da Superliga Masculina (2011/12, 2013/14, 2014/15, 2015/16 e 2016/17)
- Bicampeonato da Supercopa (2015 e 2016)
- Bicampeonato da Copa Brasil (2014 e 2016)
- Heptacampeonato Mineiro (2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016)

Leia mais:
Sada/Cruzeiro tem 'conversas iniciadas' com levantador argentino para a vaga de William
Com quatro 'mineiros', Seleção Masculina é convocada para a Liga Mundial de Vôlei
Saída de William deixa Sada/Cruzeiro com apenas dois remanescentes do primeiro título