Mesmo virtualmente com uma vaga na elite nacional em 2018, o Internacional vive um momento de instabilidade no Campeonato Brasileiro da Série B. Sem vencer há quatro jogos - sequência que causou a queda do técnico Guto Ferreira -, o time gaúcho vai até a Arena Barueri, na região metropolitana de São Paulo, para enfrentar o Oeste, às 20h30, pela 36.ª rodada. Um empate é o bastante para o acesso à elite ser confirmado de forma antecipada.

Empate, inclusive, é com o que o Internacional está mais acostumado ultimamente. São três seguidos. O último deles - 1 a 1 com o Vila Nova-GO, em Porto Alegre - resultou em protestos dos torcedores no lado de fora do Beira-Rio e na demissão da comissão técnica liderada por Guto Ferreira.

Ultrapassado pelo América-MG (66 pontos) no último final de semana, o Internacional tem 64 pontos e garante matematicamente o acesso com um empate porque não poderia mais ser alcançado pelo Oeste, que tem 57 e é o quinto colocado. O time paulista quer se manter vivo na briga por uma vaga no G4 e defende uma invencibilidade de seis jogos.

Para adiar um pouco mais o acesso do Internacional e seguir vivo, o Oeste aposta no seu bom desempenho como mandante nesta Série B - tem a quarta melhor campanha, com dez vitórias, cinco empates e duas derrotas. "Temos que fazer valer o mando de campo. Sabemos da qualidade do adversário e da expectativa da torcida deles, mas vamos jogar em casa e também precisamos do resultado. Temos um objetivo e vamos buscar", disse o técnico Roberto Cavalo, que não vai mudar o time que segurou o empate sem gols com o Juventude, em Caxias do Sul (RS).

Responsável por substituir Guto Ferreira nesta reta final de campeonato, o auxiliar Odair Hellmann tem baixas importantes. O meia D'Alessandro recebeu o terceiro cartão amarelo e o atacante Leandro Damião foi vetado pelo departamento médico devido a dores na coxa esquerda. Eles serão substituídos por Felipe Gutiérrez e Camilo, respectivamente. Os zagueiros Danilo Silva e Klaus seguem de fora.

Apesar de estar suspenso, o capitão D'Alessandro fez questão de viajar com a delegação para São Paulo. "Temos que estar todos juntos. O grupo precisa estar unido como sempre esteve. Nosso ambiente é muito bom. A gente fica chateado por não transmitir tudo o que faz na semana", comentou o camisa 10, que está prestes a completar seu 400.º jogo com a camisa do time colorado.