Vaga na final em aberto. Este foi o saldo do empate em 1 a 1 entre URT x Atlético, na manhã deste domingo de Páscoa (16). Se teve  "chocolate", ele foi bem amargo, principalmente para os atleticanos, já que atuação aquém do esperado fez com que os torcedores, no meio do segundo tempo, soltassem o tradicional grito de "burro", direcionado ao técnico Roger Machado.

Apesar de ser o visitante no duelo de ida das semifinais, o Galo jogou com maioria de torcida no Gigante da Pampulha. "Dono da casa", o time de Patos de Minas contou com o apoio de aproximadamente 300 torcedores.

Sem Fred, suspenso por quatro jogos devido a agressão em Manoel, zagueiro do Cruzeiro, a aposta de Roger Machado em Rafael Moura deu certo. Aos 21 minutos da primeira etapa, o He-Man estufou as redes e correu para o abraço.

 Antes do de acertar a meda, ele havia desperdiçado grande chance, sendo parado apenas pela trave.

Inofensiva no ataque, a URT não deu trabalho ao goleiro Giovanni na primeira etapa. Com as ações da partida sob controle, o Atlético alcançou 56% de posse de bola nos primeiros  45 minutos.

Segundo tempo

Na volta do intervalo, porém, o time de azul mostrou a que veio. Aos 4 minutos, aproveitando cochilo da defesa atleticana, o atacante Marques entrou livre para superar o goleiro atleticano e deixar tudo igual no placar.

A partir daí, o que se viu foi um jogo com muitos erros de passe e de um Galo sem criatividade. Enquanto isso, a URT aproveitava dos espaços oferecidos pela defesa alvinegra e explorava os contra-ataques.
Aos 27 minutos, numa ofensiva bem explorada, quase deu certo. Interpecptado pela zaga do Atlético, porém, Diogo Oliveira não conseguiu concluir em gol.

Dois minutos depois, foi a vez de Allan Dias, num chutaço de fora da área, quase vencer Giovanni. Atendo, o camisa 1 do Galo fez grande defesa e evitou que a URT virasse o marcador.

Roger Machado, que já havia colocado em campo o atacante Flávio e o meia Marlone, nas vagas de Robinho e Cazares, acabou chamado de "burro" pelos torcedores ao tirar o meia Otero e colocar o lateral Carlos César. Com a mudança, Marcos Rocha passou a desempenhar função de ala na equipe.

Apesar das tentativas, a equipe de Rodrigo Santana soube conduzir a partida até o apito final. Com o empate, a URT precisa derrotar o Atlético no segundo duelo, para decidir o Mineiro contra Cruzeiro ou América.

Homenagem

Campeão do Interior pelo segundo ano consecutivo, o Trovão Azul foi homenageado antes de a bola rolar no Mineirão. Cercada por um batalhão de fotógrafos, a equipe recebeu a taça pelo feito alcançado.

Nas arquibancadas, apesar de em minoria absoluta, a torcida fez a festa e soltou o grito de "o campeão voltou!"
O duelo de volta, também na capital, acontecerá no próximo final de semana, no Independência.

 

FICHA TÉCNICA
URT 1X1 ATLÉTICO

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Jefferson Antonio da Costa (MG)
Assistentes: Marconi Helbert Vieira (MG) e Magno Arantes Lira (MG)
Gols: Rafael Moura, aos  21' do primeiro tempo, para o Atlético; Marques, aos 4' do segundo tempo, para a URT
URT: Juninho; Dick, Diego Borges, Rodolfo e Fabinho; Jô, Allan Dias, Cascata (Carlinhos) e Thiago Brito; Edmar (Diogo Oliveira) e Marques. Técnico: Rodrigo Marques.
ATLÉTICO: Giovanni; Marcos Rocha, Gabriel, Leonardo Silva e Fábio Santos; Rafael Carioca, Elias, Juan Cazares (Flávio) e Rómulo Otero (Carlos César); Robinho (Marlone) e Rafael Moura. Técnico: Roger Machado.

Público: 20.547 presentes
Renda: R$ 430.050,00