Ele esperava que a primeira temporada na antesala da Fórmula 1 como o mais jovem entre os 20 inscritos e numa equipe intermediária (a holandesa MP Motorsport) fosse de muito trabalho e aprendizado, nem sempre recompensados à altura.

Mas o mineiro Sérgio Sette Câmara tem evoluído a olhos vistos e acumulado uma bagagem preciosa que será de grande utilidade ainda este ano, nas quatro rodadas duplas que restam no calendário da Fórmula 2 (Spa-Francorchamps, Monza, Jerez –  num raro evento longe do circo da F-1 –, e Abu Dhabi). E, principalmente, em 2018, quando espera brigar constantemente pelas primeiras posições, sempre mirando a principal categoria do automobilismo internacional.

O raro intervalo no calendário permitiu ao piloto de 19 anos voltar à cidade natal pela primeira vez no ano para recarregar as baterias e rever a família. Serginho aproveitou a ocasião para, em visita ao Hoje em Dia, fazer um balanço da primeira metade do campeonato e das perspectivas para os próximos passos.

“Temos um carro com potencial para largar no meio do pelotão, na quinta, sexta fila, e é onde normalmente eu tenho conseguido me qualificar. O formato dos finais de semana é um bocado ingrato com os novatos, já que temos apenas uma sessão livre de 40 minutos para encontrar um acerto que funcione na tomada de tempos e nas corridas, muito menos do que na F-1. Sem contar que basta uma bandeira amarela ou a interrupção com a bandeira vermelha para prejudicar todo o trabalho, como aconteceu comigo em Baku”, lembra.

O mineiro admite que cometeu alguns erros e ainda paga por vezes pela falta de experiência, mas também lamenta os problemas no equipamento e a falha do time que transformou o que seria o melhor momento da temporada na maior decepção.

Tanque vazio
“Em Mônaco por boa parte do tempo o carro tinha uma falha no diferencial que só foi descoberta quando o fim de semana já estava comprometido. E depois houve a corrida da Áustria”, lembra.

Na Áustria, ele levou o Dallara-Mecachrome à primeira fila do grid, ao lado do líder do campeonato Charles Leclerc, até ser informado que a equipe se equivocou no cálculo do combustível e não havia a sobra de um litro no tanque exigida pelo regulamento.

SSCHD2

Serginho visitou a sede do Hoje em Dia

“Não mudaria em nada meu resultado, não estava rápido por causa dos mililitros a menos, tanto assim que muita gente de outras equipes veio me parabenizar. Infelizmente acabei largando no fundo do grid numa das minhas pistas preferidas”.

Nesta reta final, o objetivo é claro: “marcar os pontos que já merecemos e deixar uma boa impressão, que me ajude a voltar ainda mais forte no ano que vem”. Tudo indica que é apenas questão de tempo.

 

 

 

 

 

 

 

RÁPIDAS

MINEIRO DE MARCAS E FÓRMULA VEE

SÃO ATRAÇÃO NO CIRCUITO DOS CRISTAIS

Os motores voltam a roncar no Circuito dos Cristais, sexta e sábado, com a terceira etapa do Mineiro de Marcas e Pilotos 1.600cc, que volta a reunir em Curvelo pilotos de todo o país, nas categorias A, B e Novatos. Também haverá provas dos Clássicos, da Copa Mini e a volta dos monopostos da F-Vee ao traçado mineiro. O acesso à pista será gratuito, com acesso ao paddock mediante pagamento de R$ 10, mais um quilo de alimento não-perecível, e passe com direito a livre acesso aos boxes por R$ 50 (válidos para os dois dias de treinos e corridas).

MAIS UMA ETAPA DE BONS RESULTADOS

DOS PILOTOS DO ESTADO NA EURO NASCAR

Depois das duas vitórias de Felipe Rabello na etapa de Venray (oval de meia milha na Holanda), na categoria Elite 2, ele e o também mineiro Marconi Abreu voltaram a fazer bonito na quarta rodada dupla da Nascar Euro Series, no tradicional circuito de Hockenheim (Alemanha). Rabello conseguiu uma pole e um quarto lugar com o carro da equipe italiana Caal Racing – mantém a vice-liderança no campeonato. Abreu conseguiu um 11º lugar na Elite 1 (para pilotos de maior experiência), dominando a subdivisão Challenger. A próxima etapa ocorrerá em setembro, na pista italiana de Franciacorta.

28ª EDIÇÃO DO IBITIPOCA OFF-ROAD MOVIMENTA

TRILHAS DA ZONA DA MATA

O fim de semana será marcado pela 28ª edição de uma das mais tradicionais provas do fora de estrada de regularidade do país, o Ibitipoca Off-Road. Nada menos que 350 motos e 50 carros vão encarar dois dias de desafio, com largada em Juiz de Fora, percurso rumo a Lima Duarte, onde os competidores pernoitam, e retorno, atravessando as belas paisagens da Serra de Ibitipoca. Nas duas rodas, a categoria Master, que reúne os pilotos mais experientes no enduro, será disputada pelos melhores do país, casos do atual campeão brasileiro (e do evento) Jomar Grecco, do Espírito Santo; do paranaense Emerson Loth, o Bombadinho e dos mineiros Mário Vignate, Giannino Coscarelli e Tunico Maciel.