Nos seus respectivos cargos desde o ano passado, os técnicos Enderson Moreira, do América, e Mano Menezes, do Cruzeiro, chegam ao clássico entre os dois clubes, domingo, às 16h, no Independência, pela sétima rodada do Campeonato Mineiro, vivendo realidades bem diferentes neste início de temporada.

Mandante, Enderson precisa muito fazer valer o fator casa, pois uma vitória sobre o rival seria um passo importante para sua equipe tentar romper com a irregularidade, que é uma marca americana neste início de 2017.

Visitante, mas com certeza contando com maioria de torcida nas cadeiras do Horto, Mano tentará manter a invencibilidade cruzeirense numa temporada que se inicia com a China Azul empolgada pelos bons jogos que o seu time já fez no ano.

COPA DO BRASIL
O que resume o momento dos dois clubes é o fato de eles não terem se enfrentado na última quarta-feira, no confronto de ida pela terceira fase da Copa do Brasil. E isso só não aconteceu porque o América foi eliminado na etapa anterior pelo Murici-AL, derrotado pelo Cruzeiro por 2 a 0, no interior de Alagoas, há dois dias.

Aliás, a queda na Copa do Brasil diante do Murici-AL foi o ponto máximo de uma grande pressão que Enderson Moreira já sofreu em 2017 e que chegou a fazer com que ele balançasse no cargo.

Antes de ser derrotado nos pênaltis pelo clube alagoano, seu time tinha sido goleado por 4 a 1, pelo Atlético, no Mineirão, em jogo válido pelo Estadual, e por 1 a 0 pelo Flamengo, no Gama, pela Primeira Liga.

Ao contrário do adversário de domingo, Mano Menezes conquistou a tranquilidade logo na segunda partida da temporada. Com uma atuação convincente, seu Cruzeiro fez 1 a 0 no Atlético, em clássico pela Primeira Liga, em 1º de fevereiro, no Mineirão, e desde então conquistou a confiança e a paciência da torcida, que ainda tem na memória o desastre que foram as duas últimas temporadas.

CLÁSSICO
O assunto clássico agrada Mano Menezes não apenas pela boa vitória sobre o Atlético no início do ano. No comando do Cruzeiro ele nunca foi derrotado por um dos dois principais rivais da Raposa. Em quatro confrontos, foram dois empates e duas vitórias.

Uma delas no primeiro clássico disputado por Enderson Moreira no América. A derrota de 2 a 0 para o Cruzeiro, em 8 de setembro do ano passado, no mesmo Independência em que os dois clubes duelam no domingo, foi o início de uma história ruim para o treinador americano.

Depois, ele já disputou mais dois clássicos no comando do Coelho, mas contra o Atlético, e foi goleado em ambos, o que torna o duelo de domingo ainda mais importante para ele.

CLASSIFICAÇÃO
Além do retrospecto pessoal dos treinadores, estará em jogo no domingo uma posição melhor na classificação do Estadual. O América, em caso de empate ou derrota, corre o sério risco de deixar o G-4 da competição.

Já o Cruzeiro, se vencer, toma, pelo menos temporariamente, a liderança do Atlético, que tem dois pontos a mais e só entra em campo pela sétima rodada na segunda-feira, quando recebe o Tupi, às 20h, no Independência.

Com certeza, América e Cruzeiro farão neste domingo um confronto em que estará em jogo muito mais que os três pontos. 

Arte Enderson Moreira e Mano Menezes