O trágico 1.º de maio de 1994 nunca mais saiu da memória dos brasileiros. A morte de Ayrton Senna no GP de San Marino, em Ímola, na curva Tamburello, chocou o país que o tinha como grande ídolo e todo o mundo do automobilismo. Por isso, 23 anos depois da tragédia, a data segue lembrada pela Fórmula 1, as equipes e seus pilotos.

Naquele inesquecível domingo, Senna pilotava sua Williams e perdeu o controle do carro antes de se chocar violentamente no muro. O brasileiro não resistiu aos ferimentos da batida e foi declarado morto horas depois, espalhando o luto pelo Brasil.

 


E como não podia deixar de acontecer, a própria Williams foi uma das equipes que prestaram homenagem ao ex-piloto nesta segunda-feira, no aniversário de 23 anos de sua morte. "Ayrton Senna, uma verdadeira lenda. Se foi, mas nunca será esquecido", postou em suas redes sociais.

Se a Williams foi a última equipe de sua carreira, a McLaren foi aquela em que ele chegou ao auge, conquistando o tricampeonato em 1988, 1990 e 1991. E o time inglês também se manifestou nesta segunda. "Se foi muito cedo, mas sempre estará em nossos corações. Há 23 anos, nós perdemos um amigo e uma lenda da velocidade."

Até mesmo a Ferrari, equipe contra a qual Senna travou memoráveis batalhas ao longo de sua carreira, lembrou a morte do piloto ao postar mensagem divulgada pela própria Fórmula 1: "Nunca será esquecido. Senna para sempre".

Entre os pilotos, o brasileiro Felipe Massa, hoje justamente na Williams, também utilizou as redes sociais para prestar suas homenagens, assim como o inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, que sempre definiu Senna como seu maior ídolo no automobilismo.

"Todos nós sentimos sua falta, Ayrton Senna", escreveu Massa em sua página no Facebook. "Nunca será esquecido", postou Hamilton, antes de chamar o brasileiro de "herói", "o melhor de todos os tempos" e "rei".

Outro que lembrou Senna foi seu maior rival nas pistas, Alain Prost, tricampeão da Fórmula 1 em 1985, 1986, 1989 e 1993, com quem disputou boa parte dos títulos no fim dos anos 1980 e início da década de 1990. "Esta data sempre será lembrada, Ayrton", escreveu para legendar uma foto na qual aparece ao lado do brasileiro em um pódio.