O uruguaio Diego Aguirre teve curta passagem pelo Atlético em 2016, muito por conta da eliminação na Copa Libertadores. Mas é justamente na mais prestigiada competição interclubes das Américas que o técnico volta a se destacar, e com feitos positivos.

Na última quinta-feira (10), o San Lorenzo eliminou o Emelec nos pênaltis em casa com Aguirre no comando. A equipe do Papa Francisco perdeu de 1 a 0 no Nuevo Gasómetro após vitória pelo mesmo placar no jogo de ida das oitavas, no Equador. Agora, enfrentará o Lanús-ARG na quarta vez seguida em que Aguirre disputará as quartas de final da Libertadores.

O Atlético tem duas campanhas de avanços importantes na história da Libertadores. Além do título de 2013, foi "semifinalista" de 1978, num sistema de triangular com Boca Juniors e River Plate. Atrás dessas, há duas presenças em quartas de final, em 2000 e em 2016, justamente com Aguirre.

La Fiera, que fez história na Libertadores ao marcar o gol do último título conquistado pelo Peñarol, em 1987, chega novamente às quartas de final, e com a quarta equipe diferente. Antes do Galo e do San Lorenzo, ele havia sido semifinalista do torneio em 2015, com o Internacional, e vice-campeão com o Peñarol em 2011 (perdeu para o Santos de Neymar). 

Há outras duas participações de Aguirre como técnico na Libertadores: em 2003 e em 2004, ambas com os aurinegros de Montevidéu, ele não conseguiu passar da fase de grupos. 

PRESENÇA DE LEVIR

Outro treinador que passou pelo Atlético recentemente  e também está entre os "oito melhores da América do Sul" é Levir Culpi. Histórico técnico do Atlético, campeão da Copa do Brasil, Levir classificou o Santos para enfrentar o Barcelona de Guyaquil, que eliminou o Palmeiras. O Peixe venceu o Atlético-PR por 1 a 0 na Vila Belmiro depois de ter vencido por 3x2 no jogo de ida. 

No Atlético, Levir disputou apenas a Libertadores 2015 quando, curiosamente, caiu nas oitavas de final para o Internacional de Diego Aguirre.