O ex-técnico da seleção de natação dos Estados Unidos, Sean Hutchison, foi acusado de abuso sexual pela ex-nadadora Ariana Kukors, quando ela, campeã mundial em 2009 e hoje com 28 anos, ainda era menor de idade.

Diante da acusação, de acordo com a imprensa local, investigadores da força-tarefa do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos, junto com a polícia de Washington, cumpriram ordem de busca no apartamento de Hutchison em Seattle, na última terça-feira.

No apartamento do hoje diretor-executivo do King Aquatic Club, os agentes apreenderam todos os dispositivos eletrônicos encontrados, que podem conter provas relacionadas à denúncia, como fotos nuas da ex-nadadora quando tinha 17 anos.

Kukors, que também integrou a equipe de natação olímpica norte-americana nos Jogos de Londres, em 2012, disse em um comunicado na quarta-feira que foi à polícia para relatar que Hutchison a agrediu sexualmente em viagens e enquanto treinava em
piscinas em Seattle. Ela contou aos investigadores que Hutchison usava sua posição de treinador antigo para seduzi-la e abusá-la sexualmente.

Kukors contou que o aliciamento começou quando ela tinha 13 anos e passou a treinar sob orientação de Hutchison no King Aquatics Club, um clube de natação localizado em Seattle. Ela afirma que o primeiro caso de abuso sexual pelo ex-treinador aconteceu quando ela tinha 16 anos.

Campeã mundial em 2009 na prova dos 200 metros medley, Ariana Kukors disse que quer que sua história seja exemplo para evitar que ocorram outros casos de abuso sexual e que pretende empoderar outras meninas. "Nunca pensei em compartilhar minha história porque, de muitas maneiras, apenas sobreviver foi o suficiente", disse Kukors. "Mas, com o tempo, eu percebi que essas histórias como a minha são muito importantes para não evitar novos casos".

"Que outras meninas e meninos não passem pela mesma dor, trauma, horror e abuso. Que os seus pais, mentores e responsáveis sejam capazes de detectar os sinais de abuso e perceber suas trágicas consequências antes que seja tarde demais", acrescentou.

Hutchison, que foi auxiliar técnico da equipe olímpica dos EUA em 2008, não quis responder as acusações na última quarta-feira. Ele deixou a seleção norte-americana em 2010, após especulações sobre o envolvimento dele com uma nadadora. Na época, o treinador afirmou que "não era verdade" e saía para buscar novos desafios profissionais.