Depois de tropeçar diante do Libertad, no Paraguai, o Atlético retornou a Belo Horizonte na noite da última quinta-feira, quando desembarcou no aeroporto de Confins sem muito alarde da torcida e em um clima de tranquilidade.

Pressionado pelos resultados ruins em grandes jogos na temporada, o técnico Roger Machado já convive com críticas dos torcedores. Entretanto, o comandante alvinegro recebe forte apoio de seus jogadores.

“O Roger é um dos melhores treinadores com quem trabalhei até hoje. É da nova geração e busca o seu espaço. Aquilo que ele mostrou para mim nesses três meses em que estou no clube, é que ele é uma pessoa capacitada para dirigir qualque clube do mundo. Isso tem que mudar, essa estigma do Brasil de não ter paciência com profissionais mais novos. Cito o exemplo do Tite, que foi eliminado pelo Tolima na Libertadores (2011), depois conquistou tudo. Tem que ter calma”, ressaltou o volante Elias.

Um dos mais experientes do grupo alvinegro, o atacante Robinho entende o momento de cobranças, mas faz defesas ao elenco do Galo. “Acho que eles (torcedores) só cobram de quem tem qualidade. Nosso elenco é muito forte e a gente está buscando isso, jogar bem. E mesmo não jogando tão bem, estamos a um empate da final do Mineiro e temos totais condições nas competições. É com calma, é o começo de um trabalho, mas temos que melhorar”, avaliou o “Pedalada”. 

Elias concorda com Robinho e cita que mesmo “aos trancos e barrancos” o Galo tem atingido seus objetivos. “Os objetivos foram conquistados, classificamos em primiero no Mineiro, passamos na Primeira Liga e estamos indo na Libertadres. Temos certeza que o trabalho está bem feito da parte dos jogadores e do técnico. Falta uma faísca para o time engrenar e acender de vez”, completou.