A Fórmula 1 anunciou quarta-feira (2) que pretende realizar uma corrida de rua em Miami a partir da temporada 2019. A proposta será votada na próxima semana pela Comissão da Cidade e prevê um acordo por um período de dez anos para a realização do GP na Flórida.

Há muito tempo a Fórmula 1 procura ampliar sua presença nos Estados Unidos. Uma corrida em Miami seria a segunda no país, juntando-se ao GP dos EUA em Austin, no Texas. Seria a quarta na América do Norte, que também tem provas no México e no Canadá.

"O status de Miami como uma das cidades mais emblemáticas e glamourosas do mundo, combinado com sua infraestrutura turística robusta, faz com que Miami seja o destino perfeito para a Fórmula 1 e seus fãs", disse Sean Bratches, diretor comercial da Fórmula 1.

A corrida de Miami seria a mais recente ação do Liberty Media, grupo norte-americano que assumiu o controle da Fórmula 1 em 2017. O grupo pretende expandir o alcance da categoria, incluindo a possibilidade de adicionar novas corridas ao calendário na Ásia. Além disso, um serviço de streaming ao vivo está prestes a ser lançado.

A corrida da Flórida é apoiada pelo prefeito de Miami, Francis Suarez, e o proprietário do Miami Dolphins, Stephen Ross, mas detalhes de como a sua realização seria financiada não foram revelados. "No futebol americano, futebol, tênis e automobilismo, Miami merece apenas o melhor em música, comida, arte, moda e esportes e entretenimento, e isso é exatamente o que planejamos entregar com uma corrida de Fórmula 1", disse Ross.

A Fórmula 1 ficou fora dos Estados Unidos entre 2008 e 2012, retornando com a prova no Circuito das Américas, em Austin, construído especificamente para receber a categoria. Uma corrida de rua seria a primeira no país desde 1991 em Phoenix.