A hospitalidade mineira, tão conhecida e elogiada Brasil afora, marcou os primeiros momentos do encontro entre representantes de Cruzeiro e Murici-AL, antes da partida entre os clubes, em jogo válido pela terceira fase da Copa do Brasil. 

Poucas horas antes do embate, os presidentes Gilvan de Pinho Tavares, da Raposa, e Remi Calheiros, do time alagoano, trocaram elogios na zona mista do Mineirão. 

A diretoria do Cruzeiro aproveitou o ensejo para homenagear o clube de Alagoas, que pela primeira vez veio a Belo Horizonte e debutou no Gigante da Pampulha. Gilvan entregou ao dirigente do Murici uma placa pelo primeiro jogo entre os clubes na história.

“Homenagem do Cruzeiro Esporte Clube, por ocasião do jogo entre nossas agremiações, válido pela Copa do Brasil, e nossos sinceros agradecimentos pela acolhida e receptividade na cidade de Murici/AL, na primeira partida disputada entre nossas equipes na história, em 8 de março de 2017”, dizia a placa comemorativa, datada do dia 15 de março e assinada pelo próprio presidente celeste.

Antes da primeira partida entre Murici e Cruzeiro, declarações de terceiros fizeram com que o clube alagoano publicasse em sua página do Facebook uma carta de repúdio, por críticas proferidas por um membro da imprensa de Minas Gerais. O fato motivou o Cruzeiro a se eximir de qualquer crítica à cidade de Murici a ao time da cidade. Tanto que antes mesmo do primeiro duelo, uma entrevista coletiva com o diretor de futebol celeste, Klauss Câmara, aconteceu para a Raposa deixar claro seu respeito pela agremiação e o povo do Nordeste.