A diretoria do Huracán-ARG usa à Fifa para tentar receber do Cruzeiro uma parcela de US$ 1,5 milhões (aproximadamente R$ 4,64 milhões) referente à venda do atacante Ramón Ábila ao clube celeste no ano passado. A entidade máxima do futebol mundial enviou ofício à Raposa cobrando justificativa pela dívida, que deveria ter sido paga em dezembro. A diretoria celeste tem até o dia 10 de maio para apresentar sua defesa em relação ao imbróglio.

Caso não envie justificativa e o problema fique sem resolução, o Cruzeiro pode ser punido e até ficar desautorizado a fazer contratações por período a ser determinado pela Fifa. Por isso a diretoria cruzeirense promete responder à Fifa em breve. De acordo com informações preliminares, membros da cúpula estrelada tentaram resolver o imbróglio, e aguardavam do Huracán-ARG uma resposta pela proposta que anteriormente havia sido feita para a quitação do débito. No entanto, o clube foi surpreendido pela notificação da entidade que regula o futebol mundial.

Com 50% dos direitos econômicos de Ramón Ábila, o Cruzeiro teria que desembolsar mais US$ 4 milhões de dólares (Quase R$ 13 milhões) para adquirir a outra metade dos direitos econômicos do jogador. Valor que deverá ser pago até o fim deste ano, caso o time estrelado queira ficar com o jogador após o fim do ano.