Os departamentos de futebol e financeiro do Cruzeiro têm um problema imediato para resolver nos próximos dias: quitar uma dívida milionária pela aquisição do meia Matías Pisano junto ao Independiente-ARG, em 2016. A Fifa se pronunciou nesta semana sobre o questionamento feito pelo clube argentino, que acionou a entidade máxima do futebol no ano passado, alegando não ter recebido nenhum pagamento da equipe estrelada.

Segundo documento revelado pelo site argentino TYC Sports, a Fifa cobra do Cruzeiro US$ 500 mil (R$ 1.627 milhões), mais US$ 50 mil (R$ 162 mil), além de juros, a serem pagos ao Club Atlético Independiente. O não pagamento, de acordo com documento da própria Fifa, acarretaria punições administrativas ao clube mineiro. 

O departamento jurídico da Raposa já tem conhecimento da intimação, e irá apresentar sua defesa no prazo de 10 dias, período estipulado também pela Fifa.

Pisano foi contratado no início de 2016 e custaria ao clube algo em torno de R$ 4 milhões, valor estipulado à época por 50% dos direitos do jogador. O Cruzeiro, para contratar Pisano, perdoou a dívida que o Independiente-ARG tinha com o clube pelo empréstimo de Ernesto “El Tecla” Farías.