A Fifa confirmou nesta quinta-feira (14) a abertura de um processo disciplinar contra o presidente da Federação Palestina de Futebol, Jibril Rajoub, depois de sua sugestão que as camisas do craque Lionel Messi fossem queimadas caso ele jogasse em Israel.

A Federação israelense anunciou na semana passada a apresentação de uma queixa ante a Fifa depois do cancelamento da partida amistosa entre Israel e Argentina devido às ameaças por parte de Rajoub dirigidas ao capitão da seleção argentina.

O organismo não ofereceu maiores detalhes sobre a sanção a que Rajoub está exposto.

O presidente da Federação israelense, Eini Ofer, parabenizou a decisão, considerando que Rajoub "cruzou todas as linhas vermelhas possíveis e imagináveis". 

O cancelamento da partida Israel-Argentina consolou os palestinos que temiam ver o ídolo Lionel Messi prestar-se a um ato que eles consideravam político e consternou os israelenses, que lamentaram esse "capítulo do terrorismo no futebol".

Leia mais:
Maradona critica escolha da sede da Copa do Mundo 2026
Greve, Copa e incerteza política desaceleram a economia brasileira
Gabriel Jesus admite ansiedade para estreia na Copa do Mundo