Além do baixo rendimento e mais uma derrota na temporada, o que mais preocupou o torcedor do Atlético no 0 a 1 para o Libertad, quarta-feira (19), pela Libertadores, foi a imagem do atacante Fred saindo de campo após reclamar de dor na coxa. Em princípio, porém, a fisgada sentida pelo jogador não preocupa o departamento médico do alvinegro, que o reavaliará após o retorno de viagem de Assunção (às 20h55 nesta quinta).

Com isso, o camisa 9 deve estar à disposição do técnico Roger Machado para o confronto de volta contra os paraguaios, quarta-feira que vem, no Independência. Suspensões por amarelo, por vermelho, regulamento ou opção do treinador. Esses quatro fatores foram os únicos que tiraram Fred de qualquer partida pelo Galo, desde que chegou ao clube, em junho de 2016. Nunca lesões, ao contrário dos tempos de Fluminense.

"Eu girei para dar um chute e senti um desconforto no adutor (músculo da coxa). Não sei se foi o campo pesado ou o chute. Para correr estava incomodando, mas tenho uma certa experiência que não teve aquela fisgada que rompe tudo. Optei pro prevenir e não agravar mais. Mas estamos vivos na competição e iremos encarar o Libertad com o apoio do nosso torcedor. (Estará presente?) Creio que sim, com fé em Deus".

O artilheiro não se machucou no Atlético a ponto de ter que passar por um tratamento no Departamento Médico e virar desfalque. Já são 42 partidas em 57 jogos possíveis. A distância para o DM fez o jogador, inclusive, atingir uma marca recorde na carreira. Jamais atuou tanto numa edição da Campeonato Brasileiro como em 2016, quando foi artilheiro pela terceira vez. Foram 34 jogos, contra 23 (2015), 28 (2014), 9 (2013), 28 (2012), 25 (2011), 14 (2010) e 20 (2009).

Fred foi expulso duas vezes com a camisa alvinegra. A última, no clássico, o obrigará a ficar fora do terceiro jogo pelo Campeonato Mineiro, neste fim de semana, contra a URT, na semifinal. Galo entrou com recurso no Pleno do Tribunal Desportivo de Minas para tentar reduzir a pena de quatro jogos e liberá-lo em uma possível final (para os dois jogos). O artilheiro não disputou a Copa do Brasil 2016 pelo Atlético, pois já havia entrado em campo na competição com jogador do Fluminense (regra do torneio). Chegou a ficar no banco de reservas contra a Ponte Preta no ano passado, por opção de Marcelo Oliveira.