Um namoro que promete ser duradouro. No caso, no mínimo nos próximos cinco anos. Assim começou, nesta terça-feira (12), o relacionamento entre o colombiano Yimmi Chará e o Atlético, novo clube. As palavras certas para o "sim", inclusive, foram proferidas pelo novo reforço do alvinegro, durante a apresentação na Cidade do Galo.

Ciente do amor dos torcedores pelo time mineiro, Chará afirma que eles foram fundamentais para que o flerte, iniciado em abril, tivesse desfecho positivo. "O que me trouxe aqui foi a torcida. Pelo que fiquei sabendo pelas redes sociais e pela televisão. Isso me motivou”, revelou o novo camisa 11.

Contratado com ajuda do ex-presidente Ricardo Guimarães, o meia colombiano sabe que as altas cifras (cerca de R$ 26 milhões) trarão consigo uma pressão natural, dentro e fora das quatro linhas. Tranquilo, porém, sabe que basta apresentar o mesmo futebol que o fez ídolo no Junior Barranquilla, time que defendeu desde o meio do ano passado.

"Independentemente dos valores, jogar num clube como esse aumenta a responsabilidade. Tenho que estar preparado para as partidas. Me considero um grande profissional, espero trazer grandes coisas por essa instituição", comentou Chará.

Feliz com a recepção que teve na nova casa, o quinto colombiano a vestir a camisa do Galo na história acredita que a adaptação será rápida. Um "grupo humano e alegre", foi o que ele observou no segundo dia na capital mineira.

"Estou muito motivado para jogar no Atlético. Grande parte da minha carreira joguei pelas 'bandas' (lado), me sinto tranquilo jogando pelo lado, neste tempo aprendi outras posições. Isso é natural para melhorar e entrar no jogo", finalizou.

Namoro antigo

Durante a apresentação de Yimmi, o diretor de futebol Alexandre Gallo revelou que o namoro com o colombiano começou há dois meses. Algumas dificuldades encontradas, porém, fizeram com que o martelo demorasse a ser batido.

"Essa do Chará foi uma situação que já tinha ido em abril em Barranquilla, conversamos com o clube. Naquele momento não tinham condições de seguir, por uma questão política. Essa conversa ficou para depois e teve que dar esse tempo para acontecer", disse o dirigente.

Confira os outros colombianos que defenderam o Atlético:

Alexander Escobar - 1996
Gustavo Del Toro - 2000
Rentería - 2009
Sherman Cárdenas - 2015