Uma conhecida música de arquibancada foi o lema do Atlético na partida contra o Fluminense, na tarde deste domingo, no estádio Independência, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro: “o Galo é o time da virada. O Galo é o time do Amor”. Jogando diante de sua torcida a equipe alvinegra virou de forma avassaladora para cima do Tricolor Carioca, venceu por 5 a 2, e chegou à vice-liderança do Brasileirão.

Os gols do Atlético foram marcados por Leonardo Silva, Roger Guedes (2), Tomas Andrade e Ricardo Oliveira, com Gilberto e Pedro descontando para o Fluminense.

O próximo compromisso, e último do Galo antes da parada da Copa do Mundo, está marcado para esta quarta-feira, às 21h45, contra o Ceará, também no Independência. O Tricolor do Rio de Janeiro recebe o Santos às 19h, no Maracanã.

O Jogo

Sem Thiago Larghi no banco de reservas, já que o técnico interino cumpriu suspensão automática - pela expulsão na vitória por 3 a 1 sobre o América -, o Atlético precisou mostrar poder de reação contra o Fluminense. O Tricolor abriu o placar aos 28 minutos com o lateral-esquerdo Gilberto, que cabeceou meio sem jeito, a bola ganhou altura, e ficou fora do alcance do goleiro Victor na sequência de um escanteio: 1 a 0.

Cinco minutos depois o Atlético esboçou o gol, com Leonardo Silva acertando o travessão de Júlio César, aproveitando cobrança de escanteio de Cazares.  

Aos 34 minutos, o zagueiro artilheiro do Galo guardou o dele. Patric cruzou na área, Léo Silva dominou e afundou o goleiro do Flu: 1 a 1.

O Fluminense tentou assustar, mas o zagueiro Luan Peres chutou por cima do gol. Roger Guedes foi mais feliz e aos 45 minutos fez o primeiro vira alvinegro. O atacante recebeu dentro da área e com um belo chute colocado acertou o ângulo: 2 a 1.

E quando tudo indicava que o Galo iria para o intervalo com a vantagem no placar, Patric falhou feio, entregou a bola para Pedro, uma das joias do Fluminense, que empatou a partida aos 48 minutos da etapa inicial: 2 a 2. Placar do primeiro tempo.

No segundo tempo o Galo “passou o carro” no Fluminense, que até começou assustando primeiro aos 3 minutos, mas Pedro desperdiçou a chance.

Quem não deu mole na cara do gol foi o argentino Tomas Andrade, que tentou duas vezes antes de balançar a rede pela segunda vez na carreira. No primeiro lance o gringo por pouco não marcou. O goleiro do Fluminense contou com uma sorte danada, já que o chute do atleticano acertou a trave e a bola caprichosamente bateu no tornozelo de Julio César e não entrou.

Na segunda chance, aos 18 minutos, Tomás Andrade, de perna direita – a que não é a boa- enfim marcou o terceiro do Galo na tarde: 3 a 2.

O grande nome do Fluminense, Pedro, tentava de qualquer jeito marcar o segundo gol no jogo, mas ficava apenas nas tentativas. Enquanto o ataque carioca não regulava, o do Atlético era só alegria.

No jogo de número 650 na carreira, Ricardo Oliveira marcou um golaço de falta, chutando da intermediária, sem chance para Julio César: 4 a 2. E a máquina de gols alvinegra ainda marcou mais um pelos pés de Roger Guedes, que vive uma situação de possível saída do clube. O Palmeiras tem propostas de clubes árabes e do Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, pelo jogador.

Aos 49 minutos, o “Diabo Louro” do Galo fechou a conta. Roger Guedes deixou a zaga tricolor no chão, e fez o quinto gol alvinegro na noite: 5 a 2 e o Galo sendo o vice-líder do Brasileirão, pelo menos até a última rodada antes da parada da Copa do Mundo.