Com sondagens para excursionar para o Chile ou para os Estados Unidos durante a parada da Copa do Mundo, o Atlético já traça uma ideia de planejamento para sem jogos oficiais no calendário brasileiro.

O Galo deve dividir esta paralisação por conta do Mundial da Rússia 2018 - que acontece entre 14/6 e 15/7 - com 10 dias de folga/férias para os jogadores, e outros 15 a 20 dias de treinamentos. Podendo, inclusive, realizar amistosos internacionais.

Em princípio, o Atlético irá ficar na Cidade do Galo. Mas o clube está "aberto a ouvir propostas" de empresas ou outras agremiações que queiram promover uma digressão fora do Brasil ao alvinegro. No começo do ano, por exemplo, o Galo participou amistosamente da Florida Cup, ainda que com o time de reservas.

O diretor de futebol Alexandre Gallo havia mencionado, no início de fevereiro, dessa possibilidade do o Atlético ir ao Chile ou aos EUA. Mas nenhuma proposta oficial foi analisada pela cúpula alvinegra, que pretende divulgar a definição - em caso de viagem - o mais rápido possível. 

O calendário do futebol brasileiro irá congelar entre 14 de junho e 17 de julho, sendo que o Campeonato Brasileiro sofrerá esta paralisação entre a 12ª e a 13ª rodada. Já a Copa do Brasil terá a disputa das oitavas de final antes da paralisação.

CHINA E EM CASA
Nas duas últimas Copas do Mundo (2010 e 2014), o Atlético fez ações diferentes para seguir na ativa antes da retomada do futebol. No Mundial da África do Sul, sob o comando de Vanderlei Luxemburgo, o Galo ficou no Brasil e fez amistosos contra América (na Arena do Jacaré) e diante do Bragantino (em Bragança Paulista).

Na Copa passada, porém, com a marca valorizada no cenário mundial - conquista da Copa Libertadores e presença de Ronaldinho Gaúcho - o Galo foi convidado por uma empresa de marketing esportivo para jogar amistosos na China.