Passou rápido como a nova geração de carros da principal categoria do automobilismo. E, melhor de tudo, com corridas movimentadas, alternância de vencedores, polêmicas e uma disputa pela liderança que começou como duelo e ganhou coadjuvantes interessados.

O fim de semana de GP da Inglaterra, em Silverstone, marca o fim da primeira metade do Mundial de F-1, felizmente sem uma tendência definida. Os 20 pontos que separam o líder Sebastian Vettel (Ferrari) do vice, Lewis Hamilton (Mercedes) podem parecer muitos, mas bastam três vitórias do britânico com o rival em segundo para que as posições se invertam.

A prova de domingo em Silverstone, que sediou, em 1950, a primeira corrida da história do campeonato, pode, no entanto, marcar um desempate no número de vitórias (Vettel e Hamilton venceram GPs três cada). Em se tratando do retrospecto, o favoritismo é de quem corre no quintal de casa.

O piloto de Stevenage experimentou a sensação especial de vencer diante da torcida quatro vezes: a primeira, em 2008, ainda no traçado original. Nos três últimos anos, levou o carro prateado à bandeirada na frente. Mas Vettel também foi ao alto do pódio em terras britânicas (no GP de 2009, com a Red Bull).

Ainda que mantenha o discurso de que brigará pelo título, o finlandês Valtteri Bottas sabe que dependerá das circunstâncias, tal como semana passada, na Áustria. Com Hamilton punido pela troca do câmbio e largando em oitavo, Bottas era a arma da Mercedes para levar a melhor sobre Vettel e pôde acelerar para vencer (Daniel Ricciardo, no Azerbaijão, foi o outro vencedor da temporada). Em condições normais, Hamilton é o candidato ao título do time da estrela.

Snapchat
O fim de semana marca ainda uma série de novidades e experiências dentro e fora da pista para recuperar audiência global e garantir maior segurança para os pilotos. No primeiro caso, o evento F-1 Live London foi um sucesso, reunindo uma multidão na região central de Londres para interagir com pilotos e equipes, conhecer os bastidores da categoria e acompanhar uma exibição nas ruas. Além disso, ontem os executivos da Liberty Media, que detém os direitos comerciais sobre o circo, anunciou uma parceria com o aplicativo Snapchat, para reforçar a presença nas mídias sociais.

Nos treinos livres de hoje, Vettel será o primeiro a experimentar, em condições reais, o Shield, parabrisa transparente em material reforçado para proteger os pilotos em acidentes desenvolvido pela Red Bull. O equipamento foi considerado pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) mais adequado do que o Halo, arco em fibra de carbono testado ano passado. A ideia é dotar os carros da proteção já a partir do ano que vem, caso os testes confirmem sua eficácia.

 

f1