Guilherme sabe como ninguém como é ser alvo de críticas da torcida do Atlético. Contudo, nunca viveu a experiência do atacante Jô, ao faltar de treinos e colocar seu futuro em dúvida. O armador se mostrou solidário ao companheiro, preferiu não comentar muito sobre suas faltas, mas disse que ele é uma peça útil para a equipe alvinegra.

“Questão do Jô é muito pessoal, muito particular. Em relação a campo, ele e o André nos ajudam, brigando ali na frente, disputando bolas. Enquanto isso jogadores como eu aproveitamos para fazer gols. Atacante vive de gol, mas eles nos ajudam em outros aspectos. Trabalham sério todos os dias e contam como nosso apoio. Seguir jogando porque de repente a bola entra”, afirmou Guilherme.

Se Jô não sabe como será daqui para frente na sua carreira profissional, Guilherme também tem uma dúvida guardada para ser esclarecida até março de 2015. Ele já pode assinar pré-contrato com qualquer outra equipe e, até o momento, nenhum avanço nas conversas entre a diretora do Galo e seus representantes, para renovar seu contrato, foi estabelecido.

"Isso é com o presidente", repetiu Guilherme