Não é todo dia que um piloto de Fórmula 1 escreve seu nome na história ao lado de Michael Schumacher. Para Lewis Hamilton, o feito aconteceu neste sábado. O inglês da Mercedes foi o mais rápido do treino de classificação para o GP da Bélgica, que acontecerá no domingo no circuito de Spa-Francorchamps, e garantiu a 68ª pole position de sua carreira na categoria, igualando o recorde do ex-piloto alemão.

Hamilton cravou o tempo de 1min42s553 e não deu chances para os concorrentes, mostrando por que é o melhor piloto da atualidade em treinos de classificação. Fã declarado de Ayrton Senna, o inglês já havia se emocionado ao igualar o brasileiro em números de poles, em junho, e repetiu o choro neste sábado, principalmente após receber uma mensagem da família Schumacher o parabenizando.

A pole de Hamilton promete colocar fogo no campeonato, já que o inglês, vice-líder do Mundial, sairá logo à frente do alemão Sebastian Vettel. Primeiro colocado da temporada, com 202 pontos, 14 à frente do rival, o piloto da Ferrari cravou 1min42s795 e largará na segunda posição.

A dobradinha Mercedes/Ferrari se repetiu na sequência, com Valtteri Bottas em terceiro, após marcar 1min43s094, e Kimi Raikkonen em quarto, com 1min43s270. Max Verstappen e Daniel Ricciardo, da Red Bull, completam os seis primeiros colocados no grid, respectivamente.

O brasileiro Felipe Massa seguiu com sua péssima fase e sairá somente em 18.º. Novamente enfrentando dificuldades com sua Williams, o piloto cravou somente o 16.º tempo na primeira parte da atividade e ficou fora do Q2, mas foi punido com a perda de cinco posições por ignorar uma bandeira amarela no terceiro treino livre, também neste sábado.

Ele só não sairá em último porque Stoffel Vandoorne e Daniil Kvyat também foram punidos e largarão atrás do brasileiro. "O piloto (Massa) não fez qualquer tentativa de reduzir significativamente sua velocidade na área onde foi mostrada a bandeira amarela", explicaram os fiscais da prova.

Trata-se de mais um dia para Massa esquecer neste retorno às pistas, depois de ficar de fora do GP da Hungria, na etapa passada, por ter passado mal antes do treino classificatório. Na primeira parte da atividade livre da última sexta, o brasileiro perdeu o controle e bateu na barreira de proteção, o que o deixou sem marcar tempos ao longo do dia.

E neste sábado, o calvário do brasileiro continuou logo nos 10 primeiros minutos do treino. Claramente desconfortável com sua Williams, Massa enfrentou dificuldades para alcançar boas voltas, mas, ainda assim, ia se garantindo no Q2 com a 15.ª posição. Só que com o cronômetro já zerado, Romain Grosjean o superou e o tirou do restante do treino.

Situação bastante semelhante viveu o espanhol Fernando Alonso na fase seguinte da classificação. No Q2, o piloto superou as limitações de sua McLaren e ia se garantindo no Q3 com a décima colocação. Só que também no último giro na pista, Nico Hulkenberg assumiu a nona colocação e tirou o bicampeão da briga.

Na terceira e última fase da atividade, aconteceu o esperado. Mercedes e Ferrari se alternavam na briga pelas primeiras quatro colocações, seguidas pelos dois carros da Red Bull. Force India e Renault completavam as cinco equipes com pilotos ainda na disputa.

Nos últimos minutos, falou mais alto o talento de Lewis Hamilton. O inglês, que já liderara o Q1 e o Q2 e estava na frente no Q3, abaixou ainda mais seu tempo na última tentativa na pista e acabou com qualquer possibilidade de seus concorrente o alcançarem.

Parecia que seria uma dobradinha da Mercedes, já que Bottas vinha na sequência de Hamilton, mas na última tentativa, Vettel abaixou o seu tempo, superou o finlandês e garantiu a segunda colocação. A quarta ficou com seu companheiro de equipe, Kimi Raikkonen, que havia dominado os treinos livres.

Confira o grid de largada do GP da Bélgica:

1.º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes), 1min42s553
2.º - Sebastian Vettel (ALE/Ferrari), 1min42s795
3.º - Valtteri Bottas (FIN/Mercedes), 1min43s094
4.º - Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), 1min43s270
5.º - Max Verstappen (HOL/Red Bull), 1min43s380
6.º - Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull), 1min43s863
7.º - Nico Hulkenberg (ALE/Renault), 1min44s982
8.º - Sergio Pérez (MEX/Force India), 1min45s244
9.º - Esteban Ocon (FRA/Force India), 1min45s369
10.º - Jolyon Palmer (ING/Renault), 1min44s685
11.º - Fernando Alonso (ESP/McLaren), 1min45s090
12.º - Romain Grosjean (FRA/Haas), 1min45s133
13.º - Kevin Magnussen (DIN/Haas), 1min45s400
14.º - Carlos Sainz Jr (ESP/Toro Rosso), 1min45s439
15.º - Lance Stroll (CAN/Williams), 1min46s915
16.º - Marcus Ericsson (SUE/Sauber), 1min45s400*
17.º - Pascal Wehrlein (ALE/Sauber), 1min47s679*
18.º - Felipe Massa (BRA/Williams), 1min45s823*
19.º - Stoffel Vandoorne (BEL/McLaren), 1min46s028*
20.º - Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso), 1min45s441*

* punidos com perdas de posições