Lewis Hamilton e a Mercedes indicaram o favoritismo para o GP da Itália, a 13ª etapa da temporada 2017 da Fórmula 1, logo no primeiro treino livre no circuito de Monza, nesta sexta-feira, liderando a sessão com uma dobradinha e mais de um segundo de vantagem para o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, o principal rival do britânico na briga pelo título do campeonato.

Segundo colocado no Mundial de Pilotos com 213 pontos, a sete de Vettel, Hamilton corre na Itália com chance real de assumir a liderança da temporada. E a prova tem peso ainda mais histórico para o britânico, pois ele pode superar o recorde histórico de pole positions na Fórmula 1 - hoje, está empatado em 68 com o alemão Michael Schumacher.

E logo no primeiro treino livre no icônico circuito de Monza, Hamilton impôs o seu domínio. Em uma sessão disputada sob tempo nublado e com chuva no final da atividade, o britânico foi o mais rápido com a marca de 1min21s537 na melhor das suas 28 voltas.

Quem mais se aproximou de Hamilton foi o finlandês Valtteri Bottas, que completou a dobradinha da Mercedes ao cravar 1min21s972. Assim, apenas os pilotos da Mercedes conseguiram registrar voltas em menos de 1min22 no primeiro treino livre em Monza.

Vettel foi 1s115 mais lento do que Hamilton, ficando em terceiro lugar, com 1min22s652, sendo seguido pelo finlandês Kimi Raikkonen, seu companheiro de equipe na Ferrari, o quarto colocado.

Logo depois vieram os dois carros da Red Bull, com Daniel Ricciardo em quinto lugar e Max Verstappen na sexta posição. Ambos, porém, vão começar o GP da Itália do final do grid após receberem punições por mudanças no motor - o holandês vai perder 15 posições, enquanto o australiano foi punido com a perda de 20 postos no grid.

As punições não foram aplicadas apenas para a Red Bull. O espanhol Fernando Alonso, que fechou o primeiro treino livre em Monza na 15ª colocação, vai perder 35 posições após a Honda trocar o motor da sua McLaren. Já o também Carlos Sainz Jr., da Toro Rosso, perdeu dez postos no grid do GP da Itália.

Logo atrás da Red Bull, a Force India voltou a se mostrar como a quarta melhor equipe da Fórmula 1 ao fechar a sessão inicial no circuito de Monza com o mexicano Sergio Pérez em sétimo lugar e o francês Esteban Ocon na oitava posição.

O belga Soffel Vandoorne, da McLaren, foi o nono mais rápido, enquanto o brasileiro Felipe Massa fechou a lista dos dez primeiros colocados com a marca de 1min23s561, ficando três posições à frente do canadense Lance Stroll, o seu companheiro de equipe na Williams.

Os pilotos voltam a acelerar no circuito de Monza às 9 horas (de Brasília) desta sexta-feira, quando será realizado o segundo treino livre para o GP da Itália. O horário é o mesmo do treino de classificação no sábado e da largada da corrida no domingo.