Diego Alves já desembarcou no Rio de Janeiro para se apresentar ao novo clube. Depois de 10 anos na Europa, o goleiro foi contratado pelo Flamengo para a disputa do Campeonato Brasileiro. O jogador custou apenas 300 mil euros aos cofres Rubro-Negros, vindo do Valencia. E o Galo terá direito de receber uma parcela deste dinheiro, mesmo que represente um valor pequeno.

Como clube formador, e se debruçando na regra da FIFA denominada "mecanismo de solidariedade", o Atlético pode acionar a Federação Internacional para recolher 1,74% da transferência total de Diego Alves. O que representaria R$ 19.042,56 para a conta alvinegra, na cotação atual do Euro.

O Atlético foi, ao lado do Botafogo-SP e do Almería, o clube que abrigou Diego Alves entre os 12 e 23 anos. Este período é considerado pela Fifa como o de formação do atleta. E os clubes que participaram dele dividem um total de 5% de qualquer transferência onerosa do tal atleta. 

No Galo, Diego chegou em 2004 (aos 19 anos) e se despediu em 2007 (aos 22 anos). Portanto, ficou quatro temporadas incompletas, o que explica os 1,74%, parcela esta calculada pela plataforma "Rede do Futebol", software especializado no assunto.

Dos 300 mil euros (R$ 1.094.460,00), R$ 54,7 mil são correspondentes aos 5% do "mecanismo de solidariedade". E a maior parte irá para os bolsos do Botafogo de Ribeirão Preto, onde Diego Alves fez a maior parte das categorias de base.