Após apenas seis jogos na temporada, o Atlético derrubou o técnico Oswaldo de Oliveira do cargo. Atuações ruins, quase eliminação surpreendente na Copa do Brasil. Dias depois, outra derrota no Campeonato Mineiro, de virada e em casa. Um início de 2018 alarmante para a torcida. Mas a esperança segue viva na Cidade do Galo. Ao menos no discurso do líder do grupo.

"Acontece... são quantos jogos? Sete jogos, começo de temporada. Não é desculpa, mas no final do resultado, às vezes pode ser melhor. O começo está ruim, não era o que queriamos para inicio de competição. Algumas mudanças foram feitas, e estão acontecendo. Mas, às vezes, ofinal pode ser surpreendente. O resultado final pode ser melhor do que aquilo que começamos", disse o zagueiro Leonardo Silva.

O Atlético, até o momento, não acertou com o novo comandante para 2018. Até lá, o interino Thiago Larghi permanece à frente do time. Comandará os treinamentos de portões fechados até sexta-feira. O próximo compromisso é diante do América, no domingo, pelo Estadual. O Galo, na quarta colocação, faz campanha contestada no Mineiro, no qual os oito colocados, de 12 participantes, se classificam para as quartas de final. 

"Nós, mesmo com a ausência de um treinador neste momento, nesta quantidade de dias, estamos muito bem assessorados com o auxiliar Thiago, que fazia parte do planejamento anterior. E nosso pensamento está sendo somente no treinamento, para fazer o que sabemos fazer, na melhor maneira possível. E confiando na decisão da diretoria e da presidência. Nosso pensamento é trabalhar e fazer o melhor dentro de campo", disse Léo.

O capitão da equipe, e mais experiente do grupo, esteve reunido com o presidente Sette Câmara, ao lado de Victor e Ricardo Oliveira, após a demissão de Oswaldo na sexta-feira passada. Perto de completar 39 anos - em junho - e Thiago Larghi fará 38 anos em 2018.