Mano Menezes admitiu. Estava nervoso em determinados momentos da partida entre Cruzeiro e Tombense no Mineirão, na tarde deste domingo (19). Sobrou até mesmo para um microfone captador de som ambiente posicionado perto do banco de reservas. Mas o treinador ficou irritado mesmo com a arbitragem do duelo.

O comandante celeste até evitou explicar quais os pontos em que se sentiu prejudicado na atuação de Murilo Francisco Misson Junior, mas citou "critérios diferentes" que deixaram os jogadores da Raposa nervosos e até mesmo se mostrou "sem estômago" para o que viu em campo.

Uma das razões da reclamação de Mano Menezes está em um cartão amarelo claro não apresentado ao jogador Roberto, do Tombense, que impediu o lateral-esquerdo Diogo Barbosa de entrar na área rival, com um puxão. Roberto já havia sido amarelado e, portanto, teria de ser expulso.

"Tem horas que a gente fica um pouco nervoso. É assim mesmo, quem tem a responsabilidade de conduzir um time grande como o Cruzeiro, e ver certas coisas acontecer dentro de campo, não tem mais estômago para isso, até quem é experiente fica nervoso", disse Mano Menezes, que ainda acrescentou deixar para os especialistas de arbitragem apontarem os erros de Murilo:

"Não vou falar de arbitragem hoje. Se eu falar, vocês vão me criticar amanha. Falem vocês, viram as mesmas coisas que eu. Tem capacidade de analisar tão bem quanto eu, cada canal de seu especialista de arbitragem, vou deixar para os especialistas".