O técnico Mano Menezes quer seguir um caminho natural e, com a mudança de comando no Cruzeiro em 2018, o treinador deseja conhecer o projeto da nova diretoria, encabeçada pelo futuro presidente Wagner Pires de Sá, antes de falar em renovação ou saída do clube. O seu contrato na Raposa tem duração até 31 de dezembro deste ano. 

Apesar de estar afastado dos trabalhos por indicação médica – após tratamento de pele -, Mano Menezes esteve em Porto Alegre e acompanhou na Arena do Grêmio a vitória por 1 a 0 da Raposa sobre o Tricolor Gaúcho. Ao fim do jogo, o comandante do time estrelado confirmou seu retorno às atividades nesta quinta-feira (12) e falou do assunto mais badalado nos últimos dias: sua renovação contratual. 

“Tenho escutado bastante coisa sobre minha pemanência. Tenho contrato até 31 de dezembro, mas está tudo bem. Depois disso a gente renova o contrato ou não renova. No final da Copa do Brasil, quando me perguntaram (se ficaria ou sairia do clube), eu disse que achava que o mais mportante de tudo são as coisas estarem claras para todos os lados, pois será um ano importante para o clube em 2018. Sabemos como são as expectativas, vimos isso esse ano. O futebol é assim, quando se cria expectativa, temos que criar maneiras de corresponder o torcedor e não gerar frustação grandes no ano que vem”, disse o treinador.

O Hoje em Dia publicou recentemente que Mano Menezes, ao voltar às atividades, teria uma reunião com membros da futura diretoria do Cruzeiro para ouvir, justamente, sobre o projeto que está sendo detalhado para o ano que vem. Segundo apurou o HD, o treinador quer garantias de que o elenco para 2018 será competitivo. E para isso serão necessários alguns reforços. 

“Vamos discutir internamente, e o Cruzeiro sabe a grandeza do que se coloca para ser disputado no ano que vem, o clube tem experiência nisso. É bicampeão da Libertadores, sabe o nivel da disputa. Temos um elenco de qualidade boa, mostra isso na temporada, e o mais importante é que todos estejam preparados para ambicionar coisas grandes no ano que vem”, disse, tentando minimizar uma urgência sobre a definição de sua permanência. 

“Acho que não tem nem essa urgência como querem dar ao fato, estou tranquilo, retorno ao trabalho para conduzir o Cruzeiro no Campeonato Brasileiro, estamos fazendo um ótimo campeonato. Os jogadores têm, conseguimos criar e não queremos perder essa oportunidade, isso é o mais importante nessa hora”, ressaltou. 

Pressão

Com a eleição de Wagner Pires de Sá, o Cruzeiro terá um novo gestor para o futebol. O nome para ocupar esse cargo é o de Itair Machado, ex-presidente do Ipatinga. A escolha de Pires de Sá foi contestada por alguns torcedores, e isso gerou polêmicas nos últimos dias. Alguns membros que se desligaram da atual diretoria chegaram a dizer que Mano Menezes não teria um renovação fácil, outros que o atual presidente Gilvan de Pinho Tavares havia rompido relações com o futuro mandatário celeste. 

Sobre esses episódios, Mano preferiu ser coeso e adotou um discurso de pacificação, até mesmo para tranquilizar o torcedor e não pesar o cenário atual do clube dentro de campo. 

“Obvio que a direção futura do Cruzeiro não me conhece ainda. Para as pessoas que já me conhecem, sabe como me conduzo nesses momentos (renovação de contrato). Não existe nada antes de um encontro com a nova direção do Cruzeiro, pelo respeito, porque é o clube onde estou e tenho contrato até 31 de dezembro. Aí que vamos decidir o futuro. Antes disso não tem nada, absolutamente nada. O momento é propício pela especulação. É bom, faz parte do futebol, mas nada passa além disso, e as pessoas que hoje dirigem o Cruzeiro sabem como será minha postura”, comentou.

Em São Paulo, notícias de bastidores apontam que o Palmeiras poderia ser um destino de Mano Menezes. O São Paulo, hoje comandado por Dorival Júnior e clube que briga contra o rebaixamento, também foi citado como provável opção.