Eleito o melhor jogador da Copa do Mundo de 2010, sediada na África do Sul, o uruguaio Diego Forlán viverá sensação diferente nesta edição da competição mais importante do planeta, que acontecerá na Rússia. Após defender o Kitchee Sports Club, de Hong Kong, o atacante, de 39 anos, será comentarista do programa "Más que Fútbol", da emissora Directv Sports.

Com currículo recheado de títulos e com passagens marcantes por "gigantes" do futebol, como Manchester United, Atlético de Madrid e Inter de Milão, Forlán será responsável por analisar as partidas da Celeste no Mundial. A equipe terá pela frente Egito, Rússia (anfitriã) e Arábia Saudita.

Em entrevista exclusiva ao Hoje em Dia, o uruguaio afirma que Arrascaeta, meia do Cruzeiro, tem grande potencial para ser um dos destaques do time comandado por Óscar Tabárez no torneio.

Além disso, o segundo maior artilheiro da história do Villareal, da Espanha, responde porque não defendeu o Atlético, quando procurado em 2012, e comenta como foi a experiência vivida com a camisa do Internacional, de Porto Alegre.

Confira a entrevista com Diego Forlán:

Na sua infância, você se destacava como jogador de tênis. Por que não seguiu no esporte? Como ingressou no futebol?

Eu não segui com o tênis porque, em certa idade, tive que me decidir. E, como a paixão da família sempre foi pelo futebol, eu me inclinei por ela.

Qual a importância de ter sido o melhor jogador da Copa do Mundo de 2010 na sua carreia?

Para mim, ter sido eleito o melhor jogador do Mundial da África do Sul foi algo extremamente espetacular. Além disso, foi um prêmio a parte pelo grande campeonato que a nossa seleção fez naquela ocasião. 

Acredita que o prêmio da Fifa de melhor do mundo deveria ser dado ao melhor atleta do Mundial de Seleções?

Ser o melhor do Mundial pode ser comparado com ganhar a própria Copa do Mundo de uma forma individual. 

Acredita que Suárez será o protagonista da seleção uruguaia na Rússia?

Acredito que sim. Luis tem tudo para ser o destaque da seleção.

Para você, quais são as seleções favoritas ao caneco neste Mundial?

Na minha opinião, aponto Brasil, Alemanha, Argentina, Espanha e França como as favoritas ao título.

Esteve perto de acerta com o Atlético, em 2012, antes da chegada de Ronaldinho Gaúcho. Por que não deu certo?

Apenas não chegamos a um acordo. Não teve mais nada além disso e, em pouco tempo depois, apareceu a oportunidade de jogar pelo Internacional.

Como foi sua passagem pelo Inter? Gostaria de ter ficado mais tempo no futebol brasileiro?

A verdade é que minha passagem por Porto Alegre, com a camisa do Inter, foi uma linda experiência. Fui campeão gaúcho e artilheiro da competição. Tenho muitas recordações bonitas por ter jogado no Colorado.

Acredita que Arrascaeta pode ser um jogador importante para sua seleção? Estaria no mesmo nível de Alvaro Recoba?

Acredito sim que o Arrascaeta tenho tudo para ser importante para o time. Ele está num altíssimo nível no Cruzeiro e tomara que possa manter esta performance na seleção. Sobre a comparação com Recoba, prefiro não fazê-la. São dois grandíssimos jogadores.

Como vê o atual momento da seleção uruguaia? Esta nova geração pode ser comparada com a sua?

Eu não gosto de fazer comparações. Todos esperamos que vá muito bem e que seja uma grande seleção que vá o mais longe possível na competição.

E sua passagem por Hong Kong? Foi uma experiência cultural? Como é o nível técnico do futebol por lá?

Assim como em Hong Kong, tive lindas experiências em Índia e Japão. Fico muito feliz por ter jogado nestas ligas durante a minha carreira.

forlan