Dono da maior renda do futebol brasileiro no ano passado, ao arrecadar R$ 7.881.058,00 na final da Copa do Brasil, entre Cruzeiro e Flamengo, o Mineirão esperar receber dois milhões de pessoas em 2018, considerando jogos de futebol e eventos de lazer e entretenimento.

A expectativa supera a marca 1,5 milhão de visitantes que foi registrada em 2017. Os números são da administradora Minas Arena, criada por meio de uma parceria público-privada (PPP) com o Governo de Minas Gerais para executar as obras de modernização e gestão na arena mineira por 25 anos.

Considerando apenas os jogos de futebol, o Mineirão recebeu 42 partidas, com público pagante superior a 800 mil pessoas. A título de comparação, o Corinthians reuniu 1.170.244 torcedores em 34 partidas oficiais. Já o Palmeiras recebeu 884.499 espectadores em 28 partidas.

Como espaço multiuso, a arena de Minas foi palco de 94 eventos, entre shows, congressos, palestras e encontros corporativos, que receberam cerca de 607 mil pessoas. Uma a cada três datas do estádio no ano foram ocupadas com jogos ou eventos.

O estádio do Mineirão é o primeiro estádio brasileiro que se candidatou a receber a final da Libertadores que, de acordo com estudos da Conmebol, será decidida em jogo único nos próximos anos. A cidade de Quito, capital do Equador, também demonstrou interesse no jogo.

Um dos argumentos apresentados pelos representantes do Mineirão é financeiro. O estádio foi palco da maior receita da história da Copa Libertadores, na final entre Atlético e Olímpia, em 2013, com renda de R$ 14.176.146,00. "O ano de 2017 ajudou a consolidar o estádio como case de sucesso", comentou Samuel Lloyd, diretor comercial do Mineirão.