Enzo Fittipaldi conseguiu, aos 16 anos, o sonho que pilotos como Michel Schumacher, Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen só foram conseguir perto dos 30 anos - guiar uma Ferrari. Fazer parte do projeto da equipe italiana é uma façanha que faz o jovem brasileiro sonhar com uma carreira na Fórmula 1.

O irmão mais novo de Pietro cumpriu em 2017 a primeira temporada na Academia Ferrari, projeto de formação de pilotos responsável por ter levado à principal categoria do automobilismo nomes como Jules Bianchi e Sérgio Perez. No próximo ano, Enzo vai conciliar os calendários da Fórmula 4 alemã e italiana, junto com a rotina de treinos típicos de quem participa de categorias de base. São horas no simulador, trabalhos de preparação física, aulas de italiano e exercícios que estimulam o raciocínio rápido e os reflexos, para auxiliar na reação às luzes da largada ou em manobras.

A tradição e o renome da escuderia italiana fazem o irmão mais novo de Pietro também sonhar com a Fórmula 1. Após se destacar em competições de kart nos Estados Unidos, a bateria de testes e a seleção entre os seis escolhidos para fazer parte do time italiano o animou a mudar de continente e fixar residência em Maranello. Enzo é fã de Ayrton Senna.

"Conviver na Ferrari é uma experiência incrível, porque você está na fábrica, presencia o cotidiano da escuderia e dos principais pilotos. Ainda vejo quase sempre os dois pilotos (Vettel e Raikkonen), então é muito bom para o meu crescimento", diz Enzo.

Os dois irmãos, porém, dizem ter consciência que só o sobrenome não será capaz de alavancá-los na carreira. A dupla está acostumada a responder sobre a influência do avô Emerson e de outros parentes, porém prefere evitar comparações e se cobra para que os resultados na pista justifiquem a evolução na carreira, e não apenas a relação familiar.

O próprio Emerson evitou forçar os filhos e os netos a iniciarem no automobilismo. O bicampeão mundial (nos anos de 1972 e 1974) preferiu que os descendentes iniciassem a paixão por correr por conta própria. Inclusive, da família Fittipaldi, há outro representante no caminho para se tornar piloto. O filho mais novo de Emerson, Emmo, de nove anos apenas, já começou a andar de kart.

O ex-piloto acompanha à distância a carreira dos netos no automobilismo. Pietro e Enzo por pouco não viram o avô em atividade. Emerson se aposentou na Fórmula Indy em 1996, ano do nascimento do mais velho dos irmãos.

Outro representante. Assim como Enzo, o Brasil terá outro piloto na Academia da Ferrari no próximo ano. Gianluca Petecof, de 15 anos, acaba de ser selecionado para o projeto depois de se destacar e terminar o Mundial de Kart deste ano na sexta posição, a melhor entre os brasileiros.