O meia-atacante Juanito Cazares jogará contra o Santos neste sábado, pela estreia do Campeonato Brasileiro. O equatoriano, entretanto, se viu protagonista de polêmicas. Preterido por Aguirre, ele foi alvo de especulações que davam conta de problemas com álcool e até envolvimento com drogas. Mas o presidente do Atlético, Daniel Nepomuceno, tentou dar um basta na situação e tomará até providências legais.

Pelo Whatsapp, foram espalhadas mensagens e até mesmo áudio de alguém se passando por um membro da comissão técnica do Atlético explicando que Cazares teria problemas com entorpecentes. O mandatário alvinegro assim se manifestou.

Leia mais:

Atlético perde dois titulares para revanche contra o São Paulo e aguarda estado clínico de Robinho

Contratado em abril, Carlos Eduardo vive expectativa da estreia

Atleticanos podem comprar ingressos para estreia no Brasileirão

 

"Eu não gosto de responder absurdos de internet e fofocas descabidas. Caso do Cazares chegou ao limite. Teve até irresponsável se passando por membros da comissão técnica para difamar um menino de vinte e poucos anos e tomaremos medidas legais. A resposta é simples. Não foi colocado em campo por opção técnica", disse o manda chuva atleticano.

Aos 24 anos, Cazares foi uma das principais contratações do Atlético, mas ainda não embalou na equipe titular. O técnico Diego Aguirre até chegou a perder a paciência após a derrota para o São Paulo ao ser questionado porque não escalou o camisa 11.

"Vocês (jornalistas) assistem a ele treinar, sabe que a maioria das acusações é falsa. O jogador tem o nosso apoio total, é diferenciado e esperamos ver ele crescer com a camisa do Atlético".